The extra in the ordinary

By Catarina Guimarães

A year of beginnings and Reiki ~ Um ano de inícios e de Reiki

Leave a comment

20160109-003656.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Algo me diz que 2016 será um ano de muitas primeiras vezes.
É essa a intenção que reconheci a crescer interiormente desde os últimos dias do ano passado e que começou já a ganhar forma, de dentro para fora.

No ano passado escrevi sobre como não gosto de me apegar a objectivos e resoluções porque muitas vezes não passam de resultados vazios de significado e porque tantas outras vezes aquilo que queremos não é de todo aquilo que realmente precisamos.

Este ano que passou parece ter sedimentado a minha viagem interior de auto aprendizagem e exploração. Para quem assistiu do lado de lá até pode parecer que pouco ou nada aconteceu por aqui, mas eu fico assombrada sempre que olho para o espelho retrovisor e conto os quilómetros que percorri nesta estrada cheia de curvas e contra curvas. Seja qual for a continuação do caminho ou mesmo o destino final, tenho a certeza que será muito melhor do que qualquer plano que eu tivesse tentado desenhar sozinha no meu mapa.

Houve alturas em que tive como intenção trabalhar, curar e mudar algo muito específico em mim, como ser mais calma, mais positiva, mais compreensiva e tantas outras coisas.

Mas ultimamente, sempre que fecho os olhos e peço ajuda, o meu desejo poderia ser resumido muito simplesmente assim: “Quero crescer e evoluir de um modo harmonioso, positivo e pacífico, de modo a mudar o que tenho que mudar para me tornar na versão mais verdadeira de mim própria”.

Porque se há algo que sei sem qualquer dúvida é que não vale a pena escolher crescer através da dor ou sofrimento.

E como essa versão de mim mesma implica um peito bem aberto, ando para aqui a praticar para expandir o coração o mais possível, como quem treina a respiração para mergulhar em apneia e conseguir suportar ondas gigantes em cima.

E praticar para ganhar coragem, para conseguir dizer “Sim” sempre que algo faz brotar aquela música cá dentro e conseguir dizer “Não” a tudo e todos que me sobrecarregam negativamente sem sentir a necessidade de me justificar.

E praticar para manter aquela chama intocável, sempre constante, a minha velinha a salvo de sopros e de apagões, a alumiar pacificamente o meu caminho mesmo de olhos fechados, independentemente das circunstâncias exteriores. Sabendo que não preciso de os abrir para saber para onde vou.

Praticar tornou-se palavra chave, ferramenta essencial para navegar este mundo caótico e tortuoso.
Porque não há teoria que nos ajude sem a pormos em prática.

Praticar o silêncio, trabalhar a energia. Praticar diariamente. Para mim, é sinónimo de sanidade, paz e alegria.

20160109-003600.jpg
Essa prática tem-me levado de regresso a mim própria e guia-me a novas ferramentas que me ajudam a melhorar a minha condução.

Há mais de um ano levou-me até ao estudo dos chakras (portais de energia em cada um de nós) e mais recentemente dirigiu-me até ao Reiki. Explicando de um modo muito simples, o Reiki é uma técnica japonesa de cura através da energia vital, usando várias colocações das mãos.

Esta semana preparo-me para mergulhar no curso de nível 1, tendo toda a fé que será uma aprendizagem muitíssimo positiva e recompensadora, que dará frutos para o resto da minha vida.
Desde que, lá está, eu pratique.

Mas poucas técnicas de trabalhar a energia me pareceram tão estranhamente familiares quanto o Reiki e o facto de sentir este empurrãozinho cósmico faz-me sentir que estou em sintonia com este método ancestral.

“O processo do Reiki é o de retirar suavemente, purificar e curar as nossas camadas erróneas de percepção, confusão e falsa identidade, e permitir que a verdadeira natureza desperte do nosso interior, de modo gradual e natural. Firmemente, tornar-nos-emos mais lúcidos, fortes e saudáveis, a todos os níveis.”
(David F. Vennels ~ Reiki para principiantes)

Para quem tiver interesse ou curiosidade, podem espreitar o site da escola de Reiki aqui.
E deixo-vos uma lista de livros que conheço sobre o assunto:
O Manual do Reiki ~ Walter Lubech
Reiki para principiantes ~ David F. Vennels
O grande livro do reiki ~ João Magalhães
Manual de Reiki do Dr Mikao Usui ~ Mikao Usui
Mãos de luz ~ Barbara Ann Breennan

Esta será a minha terceira primeira vez deste ano. Estou certa de que virão muitas mais e de que terei a oportunidade de partilhar bastantes com todos vós!
Desejo-vos um ano repleto de desafios positivos e de magia! Sim, magia! Porque ser sério é sobrevalorizado e uns unicórnios e fadas nunca fizeram mal a ninguém!

(Fotos tiradas na Costa da Caparica, Lisboa, Portugal)

20160109-004020.jpg
ENGLISH:

Something tells me 2016 is going to be a year of many first times.
That’s the intention I recognise growing within since the last few days of the year. And it’s already taking form, from the inside out.

Last year I wrote about how I don’t like resolutions or goals as they usually represent just some empty results with no real significance behind them. And also because more often than not what we want is not what we actually need.

This past year seems to have strengthen the foundations of my journey of self knowkedge and exploration. For those witnessing from the other side it might even look like nothing much was happening around here, but I feel astonished every time I take a look at the rearview mirror and count the miles I’ve crossed on this road full of twists and turns.

Whatever the rest of this path looks like or whatever the final destination is, I’m sure it will be a lot better then any plan I could have drawn on my map by myself.

There were times when I had the intention to work, heal and change very specific things about me, like being more calm, more positive, more understanding and many other stuff .

But lately, when I close my eyes and ask for help, this is how I translate my wish: “I want to grow and evolve in a harmonious, positive and peaceful way, changing what I need to change in order to become the truest version of myself”

Because if there’s something I’ve already learned is that there’s no real need to grow from pain or suffering.

And this version of myself asks for a heart open wide, so I’ve been here practicing like crazy to expand it as far as possible, just like someone who practices breathing for freediving while taking gigantic waves on the head.

And practicing to summon the courage to say “Yes” to every little thing that stirs that music within and to say “No” to everything and everyone that drags me down with negativity without feeling the need to justify myself.

And practicing to keep the flame untouched, always constant, my tiny candle protected from blows or blackouts, illuminating my path even when I have my eyes closed, regardless of the outside circumstances. Trusting that I don’t need to open them in order to know where I’m headed.

To practice has become a key element, the essential tool to navigate this chaotic and tortuous world. Because no theory can help us unless we put it into practice.

To practice the silence, work the energy. To practice daily. To me it has become the synonym of sanity, peace and joy.

20160109-003747.jpg
This practice is bringing me back to my own self and has been guiding me to other tools that allow me to improve my driving skills.

A little over a year ago it guided me to studying the chakras (portals of energy in each of us) and recently it has taken me to learn about Reiki.
To explain it very in a very simple fashion, Reiki is a japanese technique of healing through vital energy, by placing the hands in several positions.

This week I’ll be getting ready to dive into the level 1 course, feeling confident it will be a very positive and rewarding experience, one that I will benefit for the rest of my life.

That is, of course, provided that I practice.

But not many energy techniques have sounded so strangely familiar to me as this one has and the fact that I’ve been feeling that cosmic push makes me feel quite in sync with it.

“The process of Reiki is to softly remove, purify and heal our erroneous layers of perception, confusion and false identity, and allow our true nature to awaken from within, in a gradual and natural way. Firmly, we will become more lucid, strong and healthy, on every level.”
(David F. Vennels ~ Beginner’s Guide to Reiki: Mastering the Healing Touch)

If you feel curious about this issue you can visit the site of the school right here (portuguese only) and I’m sharing below a list of books I know about this subject:
Beginner’s Guide to Reiki: Mastering the Healing Touch) ~ David F. Vennels
The Complete Reiki Handbook ~ Walter Lubech
The original Reiki handbook of Dr. Mikao Usui
O grande livro do reiki ~ João Magalhães (portuguese only)
Hands of Light: A Guide to Healing Through the Human Energy Field ~ Barbara Ann Brennan

This will be my third first time this year and I’m sure many more will come to fruition later on. I’ll be more than pleased to share some of them right here with you.

I wish you a year full of positive challenges and lots of magic! Yes, magic! Being serious is overrated and a few unicorns and fairies never hurt anyone!

(Photos taken at Costa da Caparica, Lisboa, Portugal)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s