The extra in the ordinary

By Catarina Guimarães


2 Comments

Como fazer uma taça de batido (cru, vegan) ~ How to make a smoothie bowl (raw, vegan)

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Ultimamente tenho partilhado muito no Instagram as fotos das minhas taças de batido e lembrei-me de explicar aqui com mais detalhe para que possam ver como é fácil preparar uma refeição como esta.

Faço pelo menos 1 vez por dia e desenvolvi um método bastante simples porque não gosto de gastar muito tempo a preparar o que vou comer.

Base:

A base para as minhas taças de batido são bananas congeladas porque este é o meu combustível preferido. Não vale a pena ter medo das bananas porque não criam prisão de ventre nem engordam, ao contrário do que acreditei quase a vida toda (mais info sobre isso aqui). As bananas dão-me imensa vitalidade de um modo sustentado e calmo. Eu prefiro congeladas porque fica mais cremoso e com um sabor bem mais suave. Tenho sempre várias caixas no congelador com bananas – podem ver aqui como faço, passa o passo.

E depois adiciono apenas mais uma outra fruta diferente, consoante o que houver em casa. Também dá para juntar um vegetal (espinafres, couve, beterraba, etc) mas eu tenho andado a preferir guardar os vegetais para outras refeições.

Costumo juntar só um bocadinho de água ou água de côco. Cerca de 1/2 cup/chávena ou menos, se possível. Mas se preferirem, também podem usar leites vegetais, desde que não tenham sabores ou açúcar adicionado.

Nutrição extra:

Eu gosto de começar o dia com superalimentos porque me ajudam a lidar com o stress, são um bom suporte para o sistema hormonal e sistema imunitário e até dão mais energia. Costumo usar só 1 ou 2 de cada vez.

Os meus preferidos neste momento são a ashwaganda em pó, cogumelos reishi, erva de cevada e spirulina. (para saber mais sobre cada um, basta clickar no nome). Também gosto de juntar melaço de cana mas ponho só em cima do batido porque senão a liquidificadora fica toda colada.

Gordura boa:

Quando sinto que preciso de um pouco mais de gordura nesta refeição, junto sementes de cânhamo ou frutos secos (oleaginosas) previamente demolhados. Também dão mais textura ao batido e gosto de trincar os pedacinhos mais duros. Também podem usar côco ralado, por exemplo. Podem juntar estes ingredientes quando trituram a base ou podem polvilhar por cima do batido.

Decoração:

Podem utilizar pedaços de fruta fresca, amoras brancas secas, granola ou as sementes e  oleaginosas que já mencionei.

Preparação:

Basta pôr os ingredientes para a base (e superalimento que quiserem)  numa liquidificadora  ou robot de cozinha e triturar tudo até ficar bem cremoso, sem pedaços. Depois é só deitar numa taça grande e polvilhar com os ingredientes que quiserem usar para a decoração. Comer com colher e desfrutar muito!

Deixo aqui alguns exemplos de taças de batido bem simples para que se possam inspirar. Adaptem as quantidades às vossas necessidades físicas e nutricionais.

Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de amoras, 1 colher de chá de reishi em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: sementes de cânhamo, bagas goji.IMG_9157Base: 3 bananas congeladas, 2 maçãs, 1 colher de chá de spirulina, 1/2 chávena de água. Em cima: mais maçã fatiada, amêndoas (demolhadas) e sementes de cânhamo.IMG_8880Base: 3 bananas congeladas, 1 manga pequena, 1 colher de chá de ashwaganda, 1 colher de chá de erva de cevada. Em cima: amêndoas (demolhadas), sementes de cânhamo e melaço de cana. IMG_9232Base: 4 bananas congeladas, 2 chávenas de morangos, 1 colher de maca em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: amêndoas (demolhadas), goji e sementes de cãnhamo.IMG_8821Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de mirtilos, 1 colher de chá de ashwaganda em pó, 1 colher de chá de reishi, 1/2 chávena de água de côco. Em cima: mais mirtilos, sementes de cânhamo e bagas goji.FullSizeRender-3

ENGLISH:

Lately I’ve been sharing a lot of photos of my smoothie bowls on Instagram, I thought I could explain with a bit more detail how I prepare them so you can see how easy it is to have a meal like this.

I have a smoothie bowl almost once a day and I have a very simple method because I don’t like to spend a lot of time preparing my meals.

Base:

The base for my smoothie bowls is frozen bananas because it’s my favourite fuel. There’s no need to be afraid of bananas because they don’t make you fat or cause constipation, like I believed for so many years (more info on that here). Bananas give me a lot of vitality in a very calm and sustained way.  I choose to freeze them because the smoothies turn out a lot creamier and the flavour is a lot softer like this. I always have several boxes of frozen bananas in my freezer. You can see how I do it right here.

And then I just add one more type of fruit, depending on what is available at my house that day. You can also add some vegetables (spinach, kale, beet, etc) but lately I prefer to save my veggies for other meals.

I use water or coconut water and just a little bit – about 1/2 cup or less. You may also use plant based milk, but make sure it doesn’t have any added sugar or flavours.

Extra nutrition:

I like to start my day with super foods because it helps me to deal with stress, boosts my hormonal and immune systems and can even give me more energy. I usually add 1 or 2 at once. My current favourites are ashwaganda, reishi mushrooms, barley grass and spirulina.  (To learn more about each one, just click on its name). I also like to add blackstrap molasses but I wait and only add it on top of the smoothie bowl, otherwise my blender gets really sticky.

Good fat:

When I feel like I could use an extra bit of good fat with my meal, I simply add nuts or seeds (previously soaked). It also gives more texture to the smoothie and I enjoy biting the tiny pieces. You an also use shredded coconut, for example. You may add these ingredientes as toppings or you may blend them with the base.

Toppings:

Just add more fresh fruit, dried mulberries, granola or the nuts and seeds I’ve mentioned before.

Directions:

Put all your ingredients for the base (and superfoods if using any) in a blender or food processor and blend until it reaches a creamy consistency. Pour the smoothie into a large bowl and add your chosen toppings. Eat with a spoon and enjoy!

I’ll just leave you here with a few suggestions to get you inspired. Please adjust the sizes according to your needs.

Base: 3 frozen bananas, 1 cup of berries, 1 teaspoon of reishi powder, 1/2 cup of water. Toppings: goji and hemp seedsIMG_9157Base: 3 frozen bananas, 2 apples, 1 teaspoon of spirulina, 1/2 cup of water. Toppings: sliced apple, soaked almonds and hemp seeds IMG_8880Base: 3 frozen bananas, 1 small mango, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of barley grass. Toppings: soaked almonds, blackstrap molasses, hemp seedsIMG_9232Base: 4 frozen bananas, 2 cups of stawberries, 1 teaspoon of maca powder, 1/2 cup of water. toppings: soaked almonds, goji berries, hemp seedsIMG_8821Base: 3 frozen bananas, 1 cup of blueberries, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of reishi, 1/2 cup of coconut water. Toppings: more blueberries, goji berries and hemp seedsFullSizeRender-3


2 Comments

Batido doce de cogumelos reishi e dióspiro ~ Sweet smoothie with reishi mushrooms and persimmon

reishi-batido(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Comecei a escrever este post no final de uma semana em que choveu todos os dias, manhã, tarde e noite… todos os dias e os dias todos… chuva e mais chuva, escuridão e solidão.
Cheguei a essa sexta feira à noite com as lágrimas nos olhos, lutando contra elas e contra uma sensação antiga de isolamento, tristeza e abandono.
Por fim, deixei de lutar e juntei-me ao rio salgado que tinha mesmo que sair coração fora. Já aprendi que quanto mais luto contra a minhas emoções mais elas me dominam, por isso mais vale assumir, ir até ao fundo e libertar.

E por muito que sentisse tudo o que senti de um modo tão verdadeiro como qualquer outra emoção, não conseguia deixar de me julgar e de me criticar por estar assim, naquele estado, única e exclusivamente porque fiquei sem sol e com frio durante uns diazinhos. Ridículo, completamente ridículo…  Como é que um adulto que vive em consciência fica com a vida de pernas para o ar só porque a temperatura baixou imenso, a hora mudou, o sol não apareceu e a pressão atmosférica mudou repentinamente? Como é que isto é o suficiente para criar uma perfeita tempestade de emoções? Como?! Ridículo… Ninguém pode ser assim tão sensível!

Mas felizmente já perdi a vergonha de contar coisas ridículas como estas e tenho recebido a bela prenda de perceber que não sou a única a sentir-me assim. Que várias são as mulheres que sentiram o mesmo que eu, pelos mesmos motivos e na mesma altura. Talvez não seja assim tão ridículo, afinal… Ou pelo menos assim podemos ser ridículas juntas e rirmo-nos um bocado da nossa sensibilidade. Abençoada tribo! Poucas coisas fazem uma diferença tão grande e tão positiva na vida como uma tribo carinhosa e generosa. Desejo sinceramente que todos encontrem a sua, um dia.

E agora que esta tempestade já passou, tenho-me dedicado a aceitar de uma vez por todas que o meu organismo processa este tempo como processa a tristeza e que esta será sempre a altura do ano mais difícil para mim. Eu fui feita para viver mais pertinho da linha do equador. Vá, no mínimo, trópico de câncer!

A minha estratégia para ultrapassar isto tem sido brincar o mais possível, fazer exercício que me faça sentir enraizada (como dançar ou passear ao ar livre), meditar, tomar um suplemento de vitamina D  e preferir alimentos milagrosos que me trazem vitalidade para tirar o máximo proveito de cada dia, como os adaptógenos (maca, ashwaganga, ginseng ou reishi). São alimentos que se adaptam às nossas necessidades e ajudam a equilibrar desarmonias provocadas pelo stress ao nível do sistema hormonal e imunitário.

Um dos que tenho usado ultimamente é reishi. Apesar de ser um tipo de cogumelo, funciona lindamente em receitas de batidos ou até bolos. Os cogumelos reishi são muito populares na Ásia, onde são usados há muito tempo como tónico e potenciador de imunidade. E, segundo o site da Iswari, ajudam a desintoxicar o corpo, a reforçar o sistema imunitário e cardiovascular e a aliviar as inflamações e alergias. A sua acção medicinal também é considerada benéfica na regulação da pressão arterial, do colesterol e no tratamento de infecções virais. (E não, não estou a ser paga, apenas gosto mesmo muito desta marca.)

Eu prefiro consumir este tipo de alimento logo pela manhã e andei a brincar com novas receitas de batidos com fruta da época para o meu pequeno almoço. Hoje deixo-vos aqui um bem docinho.

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
1 dióspiro grande
2 ou 3 bananas bem maduras (usei congeladas porque fica mais cremoso e menos doce)
1 colher de chá de alfarroba
1 colher de chá de cogumelos reishi em pó (usei Iswari)
1 cup/chávena de água

Instruções:
~ tirar a casca do dióspiro (e caroço, se tiver). Juntar tudo numa liquidificadora ou processador de comida e triturar até ficar bem homogéneo e cremoso. E já está!

reishiENGLISH:

I started writing this post at the end of a very rainy week. It rained every day, in the morning, in the afternoon and at night… every day and all day… rain and more rain, darkness and loneliness. By the time friday night had arrived I had tears in my eyes and I was fighting them and fighting and ancient feeling of isolation, sadness and abandonment. Finally I stopped fighting and I joined the salty river that had to burst out of my heart. I’ve learned the more I fight my feelings the more they overpower me, so I just acknowledge them, go to the bottom of it and release.

And even though I felt it all just as honestly as any other feelings I have ever had, I couldn’t help but judge myself for being in such a state, only due to a few cold days without sunshine. Ridiculous, completely ridiculous… How can a grown person feel like her life is upside down just because the temperature dropped a lot, the changes for the daylight saving time, the sun didn’t show up and the air pressure changed suddenly? How?! Ridiculous… No one can be that sensitive!

Luckily I no longer feel ashamed of sharing my ridiculous stories like this one and I’ve been awarded the wonderful gift of realising that I’m not the only one feeling this way. Actually, I know several women that felt exactly like I did, at the same time and even for the same reasons. So maybe it isn’t so ridiculous after all… Or at least we can be ridiculous together and have a good laugh about our sensibility. Blessed tribe! Not a lot of things make such a big and positive difference in a person’s life like a caring and generous tribe. I honestly wish that everyone can find their own, someday.

And now that the storm has passed, I’ve been trying to accept once and for all that my body processes this weather just like it processes sadness and that this time of year will always be the hardest for me. I was born to live closer to the equador or, the very least, closer to the tropic of cancer!

My strategy to overcome this has been to play as much as possible, to exercise and ground myself (meditation, dancing or walking in nature), take a Vitamin D supplement and use wonderful miracle foods that bring me the vitality I need to make the most of every day. I love adaptogens (maca, ashwaganda, ginseng or reishi mushrooms). These super foods adapt to our bodies and give a boost to the hormonal and immune systems, bringing balance where stress has been creating havoc.

I’ve been using reishi mushrooms quite a bit lately and even tough it’s a type of mushroom, it works really well in smoothies and even cakes or cookies. Reishi mushrooms are very popular in Asia, where they have been used for a really long time as a tonic to boost immunity. According to the Iswari‘s site, reishi helps detox the body, it boosts the cardiovascular and immune systems and it helps with inflammation and allergies. It’s medicinal action is also beneficial in regulating blood pressure, cholesterol and treating viral infections. (And no, I’m not being paid, I just really like this brand)

I prefer to have this type of food in the morning and I’ve been playing with some new smoothie recipes and fall fruit for my breakfast. Today I’m sharing a very sweet one with you.

Ingredients:
(organic if possible)
1 large persimmon
2 or 3 large and very ripe bananas (I used frozen because it’s creamier and not as sweet)
1 teaspoon with carob powder
1 teaspoon with reishi mushroom powder (I used Iswari)
1 cup of water

Directions:

~ peel the persimmon and take off the seed (if it has one) and put every ingredient in a blender or food processor. Blend until its smooth and even. And that’s it!

reishi-batido


Leave a comment

Green twirl superfood smoothie bowl + a daily affirmation ~ Batido na tigela com remoinhos verdes de superalimentos + uma afirmação diária

20160526-113735.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

“Eu sou um íman para o bom da vida. Eu atraio experiências, qualidades e situações lindas – Amor, paz, abundância e alegria vêm ter comigo. Todas as coisas boas fluem até mim e eu recebo livremente sem qualquer hesitação. Eu sou livre. Eu sou completa. Eu sou una com tudo o que existe.”

Ontem, enquanto me sentava para almoçar, obriguei-me a fechar o meu bloco de notas e parar de pensar no trabalho durante alguns minutos para poder desfrutar totalmente da minha refeição. Comer enquanto faço outras coisas é um hábito terrível que estou constantemente a tentar contrariar.

Mas imediatamente antes de pôr o meu bloquinho caótico dentro da mala, vi esta afirmação e respirei fundo e lentamente, permitindo-me sentir estas palavras a ecoar na minha mente e coração durante um momento.

Algo tão simples e tão pequeno como isto tem o poder de mudar tudo em mim e no meu dia.

Sempre que encontro alguma afirmação que ressoa em mim e que muda a minha vibração, escrevo-a em todo e qualquer lado – bloco de notas, diário, telemóvel, agenda, etc.
E a melhor parte é que normalmente acabo por me esquecer disso, até ao momento em que “acidentalmente” a vejo no meio de um turbilhão de tarefas diárias.

Costuma ser no momento exacto em que preciso mesmo de a ler.

E, por estes pedacinhos de magia, sinto-me eternamente grata!

20160526-113753.jpg
Hoje partilho a receita desta refeição. A minha primeira refeição do dia é que costuma ser assim, um batido ou um batido na tigela, mas quando posso almoçar em casa acabo por fazer algo muito parecido outra vez. A base costuma ser bananas congeladas e depois misturo outras frutas ou vegetais.
É a maneira mais fácil que eu conheço para consumir muita fruta e superalimentos diariamente.

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
~ 2 maçãs grandes
~ cerca de 4 bananas grandes congeladas (vejam aqui como congelar)
~ gel de aloe vera (vejam aqui como eu faço)
~ 1 cup/chávena/xícara de água
~ 1 colher de sopa de xarope de ácer (ou 2 ou 3 tâmaras)
~ 1/2 colher de chá de chlorella (usei iswari)
~ 1/2 colher de chá de spirulina (usei iswari)
~ 1 mão cheia de lascas de côco seco

Instruções:
~ juntar tudo numa liquidificadora ou processador de comida, excepto o côco e a spirulina.
~ se usarem as tâmaras, retirem os caroços
~ triturar tudo muito bem e colocar numa taça ou tigela grande
~ deitar a spirulina por cima do batido (e fazer uns remoinhos com a colher para ficar mais bonito. Os olhos também comem!). Pôr as lascas de côco.
~ desfrutem e tenham um dia muito feliz!

20160526-114002.jpg
ENGLISH:

“I am a magnet for the goodness of life. I attract beautiful experiences, qualities and situations – Love, peace, abundance and joy is coming my way. All good things flow to me, and I receive freely without hesitation. I am free. I am whole. I am one with all that is”.

Yesterday, as I sat down for lunch I made myself close my notebook and stop thinking about work for a few minutes to fully enjoy my meal. Eating while doing something else is a terrible habit that I fight constantly.

But right before I put my little chaotic notebook back in my bag, I saw this affirmation and I took a long deep breath and allow myself to feel these words as they echoed in my mind and heart for a moment.

Something so small and simple like this has the power to shift everything about me and my day.

Whenever I find one affirmation that resonates with me and changes my vibration, I write it anywhere and everywhere ~ notebooks, diary, phone, calendar, and so on. The best part is that I usually end up forgetting all about it, until the moment I “accidentally” see it again, while in the middle of some turmoil, doing everyday stuff.

It’s usually the moment I need to see it the most.

And for that little bit of magic, I am always so grateful!

20160526-113808.jpg
Today I’m sharing the recipe for this meal. Usually it’s my breakfast that looks like this, a smoothie or a smoothie bowl, but if I’m having lunch at home I end up doing something pretty similar again. The base is usually frozen bananas and then I mix it with some other fruit or veggies. It’s the essiest way I know to enjoy lots of fruit and superfoods on a daily basis.

Ingredients:
(Organic, if possible)
~ 2 large apples
~ about 4 large frozen bananas
(See here how to freeze them)
~ aloe vera gel (see here how I get it)
~ 1 cup of water
~ 1 tablespoon of maple syrup (or a couple of dates)
~ 1/2 teaspoon of chlorella (I used iswari)
~ 1/2 teaspoon of spirulina (I used iswari)
~ 1 handful of coconut dried flakes

Directions:
~ put everything in a blender or food processor, except for the coconut flakes and spirulina.
~ de-seed dates if using
~ blend really well and put it in a large bowl.
~ top with the spirulina (use the spoon to twirl it a bit on the surface so it looks prettier. We eat with our eyes, too!) and coconut flakes
~ enjoy and have a beautiful day!

20160526-113753.jpg


2 Comments

Aloe vera, balm for the skin and digestive system ~ Aloé vera, bálsamo para a pele e para o sistema digestivo

20160410-172341.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Agora que a Primavera começou e o sol voltou a brilhar, começo lentamente a sentir vontade de sair desta minha hibernação e ando um bocadinho mais activa (ênfase na palavra bocadinho).

Até voltei a sentir o chamamento para escrever, coisa que não tenho feito desde o início do ano, nem aqui no blog, nem nos meus diários ou blocos de notas, nada.

A falta de sol afecta-me sempre de tal maneira que este ano até resolvi começar a tomar um suplemento de vitamina D no inverno, apesar de não ser grande apologista de andar a tomar comprimidos. Mas sinceramente, acho que me ajudou a não me sentir tão cinzenta como nos outros anos e a ver uns raiozinhos de sol, mesmo que só através da neblina.

E como andei a ler que a lua nova da passada quinta-feira marcou o início do ano novo lá nos céus, pareceu-me uma boa altura para ressuscitar o blog que, verdade seja dita, já quase me tinha esquecido de que existia.

Comecei este novo ano astrológico a dançar, algo que sempre me saíu muito naturalmente e que me traz as melhores das sensações. O ritmo é como que uma linguagem que me permite desligar o cérebro e deixar o corpo falar com fluidez e desprendimento, dizendo o que bem entender.
Mas desta vez pus-me no desafiante mas também prazeroso papel de principiante e comecei a aprender uma arte nova: dança do ventre!

Há muito tempo que não fazia algo pela primeira vez e senti que estava na altura de sair da minha zona de conforto e expandir a minha realidade. Coisa que aconselho a tod@s, o mais possível e com bastante frequência.

Mas voltando ao blog, hoje lembrei-me de vos escrever sobre uma das minhas plantas preferidas para usar tanto directamente na pele, como na comida. Prometi a mim mesma que o texto seria curto e simples, por isso, cá vai…

Acho que já toda a gente ouvi falar de aloé vera, já que ouve uma fase nos anos 90 em que não se falava de outra coisa! Em Macau nessa altura havia várias marcas australianas de sumos de aloé vera e eu era viciada!
Mas mesmo assim ainda continuo a descobrir coisas sobre este cacto, até hoje.

É um dos meus remédios preferidos para a pele e para os intestinos. Sim, intestinos!

Attachment-1
~ Como fazer?
Depois de lavar, corto um bocado da folha do cacto (cerca de 5cm) e abro esse pedaço ao meio.
Raspo com a faca no interior de cada uma das metades e deixo cair o gel para um pequeno copo. Faço sempre isto imediatamente antes de usar.

~ Para usar na pele:
Basta pôr esse gel directamente na cara ou no corpo, antes de ir dormir. Acreditem que faz milagres… Acalma, hidrata, suaviza.
A seguir ao óleo de côco e à manteiga de karité, é o melhor amigo da minha pele, principalmente no Inverno. É óptimo para proteger e nutrir a pele que anda a sofrer com este vento gelado que ainda anda por cá. Deixa uma camadinha muito suave que não é gordurosa nem pegajosa e também não tem nenhum cheiro esquisito.

~ Para comer:
Deito o gel para a liquidificadora, adiciono os outros ingredientes do batido, trituro e já está.
Não tem um sabor propriamente dito e também não muda a consistência habitual do batido.

~ E porque é que como aloé vera?
Porque é anti-inflamatório e ajuda a alcalinizar e a acalmar o organismo.
Ajuda a melhorar todo o tipo de problemas digestivos e intestinais, melhora a assimilação dos nutrientes dos alimentos e ajuda a eliminar o que não precisamos.
Também protege o corpo do stress e ajuda a recuperar de fadiga e desgaste muscular. Podem ler sobre esta planta e muitas noutras neste site maravilho do Medical Medium (só em inglês).

Não faço isto todos os dias, até porque não tenho a planta em casa e às vezes esqueço-me de ir lá fora apanhar. Mas pelo menos uma vez por semana tento fazê-lo.

Há muita gente que tem um vaso pequeno em casa com o aloé vera e vai tirando pedaços. Eu vivo numa zona com muitas destas plantas na rua e vou tirando uma folha grande de vez em quando.

Dá para guardar o resto em cima da bancada ou no frigorífico e aguenta muito bem cerca de uma semana.

Se preferirem comprar o gel numa loja, aconselho-vos a lerem com muita atenção os ingredientes porque costumam ter surpresas pouco ou nada saudáveis.

20160410-172154.jpg
ENGLISH:

Now that Spring is here and the sun is shining once again, I’ve started to slowly feel the need to escape my hibernation and be a little bit more active (emphasis on little bit).

I’ve even been feeling the calling to get back to writing, something I haven’t done at all since the beginning of the year, not here on the blog, not on my journals or my note books, nothing.

The lack of sunshine afects me so much every year that I decided to take a Vitamin D supplement this winter, even though I’m not a big fan of taking pills.
But to be honest, I think it actually helped me not to feel so gray like I usually feel during this time of year, and it helped me find a few rays of sunshine, even if only through the fog.

And I decided to revive the blog when I was reading how last week’s new moon marked the start of the new year up in the heavens. I must confess that I almost forgot I had a blog but the timing felt right.

I started this astrological new year dancing, something that comes to me very naturally and always showers me with the most joyous sensations. But this time around I chose the role of the beginner, which is challenging and very pleasurable at the same time. So I decided to start learning a new art: belly dance!

It’s been quite some time since I tried something for the first time and ventured outside my comfort zone but I needed to expand my reality once more. And I really advise everyone to do it as often as possible.

But back to the blog. Today I wanted to write about one of my favorite plants and how I use it in my food and on my skin. I promised myself I would keep it short and simple, so here it goes…

I’m guessing that everybody has already heard about aloe vera, specially since there was a time in the 90s when it was all over the place. During those years in Macau there were a lot of australiana companies that sold aloe vera juice and I was completely addicted!

But even today, I’m still learning new amazing things about this cactus.
It’s one of my favorite remedies for the skin and gut. Yes, gut!

20160413-212545.jpg
~ How?
I wash the leaf, cut a small piece (about 5cm) and open it in half. I use a knife to scrape the inside of both halves and I let the gel drip into a small glass. I do this right before using it.

~ Skin:
Just apply the gel directly to face and body right before going to sleep.
Trust me, it works miracles… It’s calming, moisturizing and softening.
After coconut oil and shea butter, this is my friends best friend, specially during the winter. It’s great to protect the skin from the ice cold wind that is still around here. It leaves a small layer on the skin but it’s not greasy and it doesn’t have any weird smell.

~ Eat it:
Put the gel in your blender and add all the other ingredients for your smoothie ingredients, blend and that’s it. It doesn’t have any specific flavor and it doesn’t change the texture of your smoothie.

~ But why do I eat aloe vera?
Because it’s anti inflammatory and it’s alcaline.
It improves all types of digestive and intestinal problems, it enhances how we assimilate nutrients and it helps flushing out what we don’t need.
It also protects the body from stress and it makes it easier to recover from fatigue and muscular strain. You can read a lot more about this plant and many others on Medical Medium’s awesome site.

I don’t use it every single day because I tend to forget to go outside and pick an aloe leaf. But I try to do it once a week or so.

A lot of people have aloe in a plant pot indoors and take pieces of it as needed but I live in an area with lots of it outside so I just pick one long leaf every now and then.
You can keep it in the kitchen and even in the fridge for about a week.

If you’re thinking about purchasing the bottled gel please check all the ingredients of the product because there are usually some not so healthy surprises.

20160410-172405.jpg


Leave a comment

Creamy apple and ginger smoothie and A Course in Miracles ~ Batido cremoso de maçã e gengibre e Um Curso em Milagres

20151223-154007.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Nestas últimas semanas, tem sido este o meu cenário logo após acordar, onde vou buscar o combustível e a inspiração para mais um dia – um batido cremoso de maçã e gengibre e as lições de Um Curso em Milagres.

Se tivesse que escolher um único livro para ler durante o resto da minha vida, seria este.

São incontáveis as ocasiões em que os meus olhos encontraram as primeiras linhas da introdução deste livro, nos últimos 3 ou 4 anos. Lê-las provocou sempre um eco tremendamente vibrante cá por dentro.

“Este é um curso em Milagres. É um curso obrigatório. Só é voluntário o momento em que decides fazê-lo. Livre arbítrio não significa que podes estabelecer o currículo. Significa apenas que podes escolher o que queres aprender em determinado momento. O curso não tem por objetivo ensinar o significado do amor, pois isso está além do que pode ser ensinado. Ele objectiva, contudo, remover os bloqueios à consciência da presença do amor, que é tua herança natural. O oposto do amor é o medo, mas o que tudo abrange não pode ter opostos.

Mas de algum modo, arranjei sempre maneira de me convencer de que ainda não estava bem preparada, ainda não, para mergulhar profundamente e me comprometer com o estudo de tais palavras. Que não era esperta ou dedicada o suficiente e demasiado preguiçosa e superficial para compreender o que quer que fosse que lá estivesse. Portanto, nem valia a pena tentar, não é Catarina?

Ui, o meu ego consegue ser feroz mas, tal como se costuma dizer, a luz só precisa da fresta mais mínima para começar a entrar.

E finalmente, devido a algo que me andava a aparecer constantemente durante as meditações, desisti da resistência e arranjei o livro. E, surpreendentemente, não foi preciso qualquer esforço.
Senti que algo por aqui se rendeu e abriu um espaço enorme, muito quieto, tão receptivo e tranquilo, mas ao mesmo tempo tão forte que sinto que chega para conter um rio inteiro.

Tenho levado isto com muita calma mas posso dizer que, logo desde a primeira frase, ler este livro oferece-me aquele sentimento que só pode ser descrito com aquele clichê piroso de “sensação de voltar a casa”. Tal e qual, piroso e clichê, mas tão verdadeiro.

Tenho feito as lições diárias e ando a ler o texto e hoje escolhi partilhar aqui algumas palavras logo do início que ressoaram bastante comigo:

“A evolução é um processo no qual aparentemente passas de um estágio ao seguinte. Corriges os teus passos equivocados anteriores, caminhando para a frente. Esse processo é, de facto, incompreensível em termos temporais, porque retornas na medida em que avanças. A Expiação é o instrumento através do qual podes te libertar do passado na medida em que avanças. Ela desfaz os teus erros passados, assim fazendo com que seja desnecessário que tenhas que ficar revendo os teus passos sem avançar para o teu retorno.”

E enquanto deixamos isto a marinar durante um bocado, vamos passar para este batido muito cremoso, delicioso e saudável.

20151223-153948.jpg
Esta receita dá cerca de 1 litro, que é a quantidade que eu costumo ingerir após acordar. Por favor adapta as quantidades consoante as tuas necessidades pessoais.

(Para saber mais sobre estes ingredientes, basta clicar no nome.)

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
3 ou 4 bananas (frescas ou congeladas)
3 maçãs médios e saborosas
1 naco pequeno de gengibre fresco (mais ou menos do tamanho da ponta do polegar)
1 colher de chá de Ashwaganda em pó ou Maca em pó
1 cup/chávena/xícara de água

Instruções:
Tirar os caroços às maçãs e a casca às bananas e gengibre (eu gosto de comer a casca das maçãs).
Pôr tudo num liquidificador ou processador de comida e triturar até ficar muito cremoso.
Servir logo de seguida.

E para quem estiver a ler isto, quero que saibas que te estou muito grata e que desejo que tenhas umas Festas felizes e em paz, onde quer que estejas.
E sim, mais uma vez, piroso e clichê, mas tão verdadeiro.

20151223-154052.jpg
ENGLISH:

For the past few weeks, this is what has kept me company right after waking up, as I fuel and inspire myself for another day – a creamy apple and ginger breakfast smoothie and the lessons from A Course in Miracles.

If I had to pick only one book to read for the rest of my life, this would be it.

There were countless times during the past 3 or 4 years when my eyes came across the opening lines from the introduction of this book and reading it has always produced a tremendously vibrant echo within me:

“This is a course in miracles. It is a required course. Only the time you take it is voluntary. Free will does not mean that you can establish the curriculum. It means only that you can elect what you want to take at a given time. The course does not aim at teaching the meaning of love, for that is beyond what can be taught. It does aim, however, at removing the blocks to the awareness of love’s presence, which is your natural inheritance. The opposite of love is fear, but what is all-encompassing can have no opposite.”

But somehow I kept finding a way to convince myself that I wasn’t quite ready, not just yet, to dive in completely and commit fully to the study of such words. That I wasn’t that smart or dedicated and way too lazy and superficial to even get any of it. So way even try, Catarina?

Oh, my ego can be fierce but it’s like they say, it only takes the tiniest crack for the light to make its way in.

So finally, because of something that showed up to me during meditation, time and time again, I gave up resistance and got the book. And surprisingly, it was quite effortless.
I felt something right here surrendering and clearing a huge quiet space that seems so receptive and so very calm, while also feeling strong enough to hold an entire river.

I’m taking it slow but I can tell you that from the very first sentence, reading it gives me that feeling that can only be described with that cheesy cliché of “coming home”. Yap, cheesy and cliché, but so true.

I’ve been doing the daily lessons and reading the text and today I chose to share with you a few words from one of the first pages that really resonated with me:

“Evolution is a process in which you seem to proceed from one degree to the next. You correct your previous missteps by stepping forward. This process is actually incomprehensible in temporal terms, because you return as you go forward. The Atonement is the device by which you can free yourself from the past as you go ahead. It undoes your past errors, thus making it unnecessary for you to keep retracing your steps without advancing to your return.”

And while we let that marinate for a while, let’s go straight to this creamy, delicious and healthy smoothie.

20151223-154024.jpg
This gives about 1 liter, which is what I usually have for breakfast but please adapt the quantities according to your personal needs.

(To learn more about these ingredients, just click on the names.)

Ingredients:
(Organic, if possible)
3 or 4 bananas (frozen or fresh)
3 tasty medium size apples
1 small slice of fresh ginger
1 teaspoon of ashwaganda powder or maca powder
1 cup of water

Instructions:
De-seed the apples, remove skin from ginger and peel the bananas (I like to eat the skin from the apples). Place everything in a blender or food processor and blend until it’s creamy. Serve right away.

And to whoever is reading this, I want you to know that I’m very grateful for you and I wish you happy and peaceful Hollidays, wherever you may be.
And yet again, cheesy and cliché, but so true.


Leave a comment

Mango, carrot and turmeric smoothie ~ Batido de manga, cenoura e curcuma

20150411-195810.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Mesmo naqueles dias de penumbra, vazios de momentos interessantes, prazerosos ou alegres, tento sempre deixar o carimbo de um gesto positivo antes de partir para a jornada seguinte. Quando me sinto bloqueada, preguiçosa, num limbo, acabo por me lembrar disto:

“O que és é o que tens sido. O que serás é o que fazes agora.” -Buddha

E questiono-me: o que poderei cumprir hoje que me irá fazer sentir orgulhosa daqui a uns meses, quando olhar para trás?
Por vezes a resposta fala-me num gesto tão diminuto, tão microscópico, mas é o suficiente para me reconciliar com a minha própria pele.
Pode ser algo tão simples como escolher responder a uma pessoa com um sorriso, em vez de ficar aborrecida com a pergunta, desligar a TV e pegar num livro, comer isto e não aquilo, ir dar um passeio em vez de ficar fechada dentro de quatro paredes, subir pelas escadas e não pelo elevador, meditar em vez de fazer algo aparentemente mais “produtivo”. E é o suficiente para me deixar a sentir que estou mais perto da pessoa que nasci para ser. E isso deixa-me com a sensação de estar no caminho certo, independentemente da minha opinião sobre esse caminho. Já não o julgo, só trabalho em aceitá-lo.

20150411-195825.jpg
E uma das muitas paragens por onde esse caminho me tem levado é a alimentação crudívora, baixa em gorduras e rica em hidratos. Eu gosto de simplificar as refeições ao máximo, focando-me em frutas e legumes frescos e maduros em abundância, o que me permite viver com uma energia e leveza mais vibrantes que nunca. A minha alimentação tem sido praticamente batidos verdes e saladas com poucos ingredientes de cada vez. Hoje partilho um dos meus batidos preferidos e é um dos poucos que não leva bananas. Lembrei-me de partilhá-lo porque sei que há muita gente que ainda não se rendeu às bananas, apesar de serem um fruto absolutamente maravilhoso para a saúde geral, desde que consumido da maneira correcta, como explico aqui. Para os mais resistentes, sugiro usarem banana congelada porque o sabor fica mais suave e a cremosidade aumenta. Podem ver como congelar as bananas aqui.

Um dos ingredientes deste batido é a CURCUMA, um tubérculo que gosto de incluir na minha alimentação por ser um anti-inflamatório potente, com propriedades anti cancerígenas muito fortes.
É conhecido por combater variadíssimos cancros e doenças auto-imunes, assim como todo o tipo de inflamação no organismo, desde artrites, fibromialgia ou lúpus. Ajuda a purificar o sangue e a equilibrar sistemas como o circulatório, hormonal ou o digestivo. É um grande aliado na prevenção de doenças cognitivas como Alzheimer e ajuda a recuperar de doenças de pele devido a propriedades antioxidantes, anti-fúngicas e anti-bacterianas.

20150411-195858.jpg
A fruta madura é doce o suficiente para mim e já não uso adoçantes nos batidos. Mas se estiverem habituados a comer açúcar processado (aproveitem e mudem para açúcar de côco) são capazes de sentir necessidade de adicionar algumas tâmaras.
Este batido verde tem cerca de 500 ml e pode ser facilmente transformado numa taça de batido, desde que reduzam a quantidade da água.

(Quando a minha refeição é só isto, duplico as quantidades dos ingredientes.)

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
1/2 manga
1 cenoura grande
1 laranja (só o sumo ou a laranja inteira descascada, se quiserem um batido bem espesso)
Sumo de 1/2 lima
2/3 cup/chávena/xícara de água
1/2 colher de chá de curcuma em pó
Opcional: 2 ou 3 tâmaras (sem xaropes adicionados), 1/2 colher de sopa de sementes de chia ou cânhamo.

Instruções:
~ Se quiserem usar as tâmaras, ponham-nas de molho durante alguns minutos até ficarem moles e retirem os caroços.
~ Descascar a manga e cortá-la em pedaços. Cortar a cenoura (eu como com casca) também em pedaços.
~ Juntar todos os ingredientes numa liquidificadora ou processador de comida e triturar bem durante alguns minutos até terem a certeza que já não há pedaços de cenoura.

20150411-195940.jpg
ENGLISH:

Even on those foggy days, empty from interesting, pleasurable or joyful moments, I try to stamp them with a positive gesture before moving along the calendar. When I feel blocked, lazy, stuck in a limbo, this is what comes to my mind:

“What you are is what you have been. What you’ll be is what you do now.” -Buddha

And I ask myself: what can I accomplish today that will make me feel proud when I look back in a few months?
Sometimes the answer speaks of such a tiny, microscopic gesture but it’s enough to make peace with my own skin. It can be something as simple as answering someone with a smile instead of being upset about the question, turning off the TV and picking up a book, eating this and not that, going for a walk outside instead of being stuck inside four walls, taking the stairs instead of the elevator, meditating instead of doing some other thing much more “productive”. But it’s enough to leave me with the feeling that I’m getting closer to the person I was born to be. That I’m on the right path, regardless of my opinion about the road that has been chosen for me. I no longer judge, I just work on accepting it.

20150411-195956.jpg
And one of the many places this road has taken me is eating low fat and high carb raw food. I like simplifying my meals to the max, focusing on an abundance of fresh and ripe fruits and veggies, which allows me to live with more lightness and high vibe energy than ever before. I’ve been eating mostly salads and green smoothies with just a few ingredients at a time and today I’m sharing one of my favorite smoothies as of late, and it’s one of the very few that I make without bananas. I know some of you aren’t big fans of bananas, even tough it’s such an amazing food for our overal health, as long as you eat it the right way, just like I explain here. If this is your case, I encourage you to try frozen bananas because the flavor becomes a lot softer and the texture a lot creamier. You may learn how to freeze bananas on this post.

One of the ingredients of this smoothie is TURMERIC, a root I love adding to my meals because it’s such a powerful anti-inflammatory with strong anti-cancer properties. It’s known for fighting several cancers and auto-immune disorders, as well as decreasing all kinds of inflammation in the body, from arthritis, fibromyalgia or lupus. It cleanses the blood and helps regulate several systems, such as the circulatory, hormonal or digestive systems. Turmeric is a great food to prevent cognitive diseases like Alzheimer’s and it also improves several skin conditions due to its anti-fungal, anti-oxidant and anti-bacterial properties.

20150411-200009.jpg
Ripe fruit provides more than enough sweetness for my taste and I no longer add sweetners to my green smoothies. But if you’re used to eating processed sugar (shift to coconut sugar instead) you may feel the need to add a couple of dates.
This smoothie is about 500ml and can be easily transformed into a green smoothie bowl by simply adding less water.

(When this is my entire meal, I double the ingredients.)

Ingredients:
(Organic, if possible)
1/2 mango
1 large carrot
1 orange (just the juice or the whole de-skinned orange if you like thick smoothies)
Juice from 1/2 lime
2/3 cup of water
1/2 teaspoon of powder turmeric
Optional: 2 or 3 dates (without added syrups), 1/2 tablespoon of chia or hemp seeds.

Directions:
~ If using dates, soak them for a few minutes to soften them up and remove seeds.
~ De-skin the mango and chop it into small pieces. Chop the carrot (I eat it with skin) and place every ingredient in a blender or food processor. Blend for a few minutes until you no longer see carrot chunks.

20150411-200339.jpg


Leave a comment

Superfood mint green smoothie + Frequency ~ Batido verde de menta com superalimentos + Frequência

20150303-211346.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Já não vos trazia uma receita de batido verde há algum tempo mas ultimamente tenho bebido tantos que achei que faria sentido partilhar um dos meus preferidos. No outro dia partilhei esta foto deste batido no Instagram e recebi várias mensagens com perguntas sobre o livro, por isso achei melhor aproveitar para falar um bocadinho sobre isso aqui.

De facto, acho que não é de todo uma coincidência que pessoas que se identifiquem comigo se sintam curiosas em relação a este livro.
Frequência da Penney Peirce é sobre energia, como funciona, de onde vem, os diferentes tipos que existem, como se transforma, como se fortalece, enfim, praticamente tudo o que precisamos de saber para ganhar consciência da energia em nós e à nossa volta.

O livro é muito útil para pessoas que, como eu, são extremamente sensíveis à energia, tanto interna como externa, e sentem necessidade de compreender melhor como tudo isso se processa para poderem usar a sua sensibilidade de um modo positivo e trabalhar a sua própria energia de um modo consciente.

Estas pessoas a quem eu costumo chamar de “esponjas energéticas”, mais conhecidas como “empatas emocionais” ou Pessoas Altamente Sensíveis (PAS) têm a tendência para serem contagiados muito facilmente com a energia de outras pessoas, circunstâncias, eventos, locais, animais e até objectos. Muitas vezes sentem-se indefesos e à mercê de elementos exteriores a si próprios e por vezes sentem-se vítimas sem poder no meio do caos energético deste mundo.

Aprender a reconhecer as fontes de energia e aprender a trabalhar a energia internamente é uma ferramenta muitíssimo valiosa para toda a gente, mas especialmente para quem é extremamente sensível.
Não é um livro fácil, nem por sombras! É muito teórico mas também tem alguns exercícios práticos muito interessantes e que eu achei muito proveitosos.

Eu costumo dizer que, no que toca a informação, o elemento essencial é o timing. Quando estamos prontos, os mestres aparecem, não há dúvida! Mas se ainda não estivermos no nível de consciência necessário para receber determinada informação, não vale a pena forçar. Se eu tivesse lido este livro há 3 anos ou mais, não estaria disponível para receber estas lições e teria sido uma inutilidade fazê-lo, muito provavelmente. Por isso é que eu não gosto de forçar ninguém a fazer ou estudar o que quer que seja, por muito que tenha sido algo monumental para mim. Prefiro atirar estas ideias aos sete ventos porque tenho a certeza que irão chegar a alguém que esteja pronto a recebê-las.
Se estiverem interessados, procurem na vossa biblioteca municipal porque eu encontrei este na Biblioteca de Lisboa. Fica uma passagem do livro:

A sensibilidade consciente, que está prestes a explorar e a praticar, é a capacidade de apreender os estímulos subtis e as informações não-verbais, provenientes de fontes físicas ou não-físicas, e de discernir o respectivo significado no momento em que ocorrem. À medida a que vai aprofundando a capacidade de saber directamente através das vibrações, verificará que ocorrem inúmeros progressos na sua vida e que este novo poder de consciência pode ser usado para coisas que nunca tinha imaginado possíveis.

E agora de volta ao batido verde…
Usei MATCHA que é um chá verde muito potente em pó e usei espinafres que são muito ricos em vitamina C que ajuda o nosso organismo a assimilar os nutrientes fabulosos do chá. Para ficarem a conhecer melhor o chá verde e as razões que me levam a ser uma consumidora assídua de longa data, leiam isto.

Ainda juntei um bocadinho de CHLORELLA que é uma alga que tem Vitamina b12, para além de ser rica em muitas outras vitaminas do grupo B e ferro, zinco e magnésio. Tem um forte poder desentoxicante e consegue limpar o organismo de metais pesados, para além de ser um óptimo aliado do nosso sistema imunitário. Ajuda a equilibrar as hormonas e o metabolismo, ajuda a baixar o colesterol e dá energia. Como a chlorella tem um sabor muito forte, nem sempre fica bem nos batidos mas aqui resulta muito bem porque a menta consegue ser o sabor mais dominante.

(Quando a minha refeição é apenas o batido, duplico ou triplico esta receita.)

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
2 bananas bem maduras frescas ou congeladas (não comes bananas? Por favor, lê isto)
1 cup/chávena/xícara bem cheia de espinafre
1/2 cup/chávena/xícara de água
1 mão bem cheia de folhas de menta fresca ou 1 gota de óleo essencial de menta (100% puro e biológico)
1/2 colher de sopa de matcha em pó (Usei Iswari)
1/2 colher de chá de chlorella em pó (Usei Iswari)
Opcional: 2 ou 3 tâmaras (sem xaropes adicionados)

Instruções:
Se quiserem usar as tâmaras, primeiro ponham-nas de molho para amolecerem e depois retirem os caroços.
Juntar tudo numa liquidificadora ou processador de comida e triturar até ficar um líquido de cor homogénea e sem pedaços. Adicionar mais água se preferirem um batido mais líquido e voltar a triturar. Colocar num frasco ou copo de vidro (nunca usar plástico se optarem pelo óleo essencial) e desfrutar com um bom livro!

20150303-211414.jpg
ENGLISH:

It’s been a long time since I brought you a green smoothie recipe but I’ve been having so many of those lately that it only made sense to share one of my favorites. A few days ago I shared this picture of this smoothie on Instagram and I got a lot of messages from people asking me about the book. So I thought it would make sense to talk a little bit about it here.

Actually, it doesn’t strike me as a coincidence that people who somehow identify with myself feel curious about this book.
Frequency by Penney Peirce is about energy, how it works, where it comes from, the different types of frequency, how to change it, strenghten it and pretty much everything about how to become more consciously aware of it.

This book is very helpful for people that, like me, are extremely sensitive to energy, both internal and external, and feel the need to understand it better in order to work with it in an active and intentional way.

These people I usually refer to as “energetic sponges” are usually known as “emotional empaths” and have a big tendency to feel affected by the energy from other people, places, events, animals or even objects.
A lot of times they feel helpless and completely at the mercy of outside circumstances or even powerless in the midst of the energetic chaos of the world. Learning about the different sources of energy and how to work it from within is a very valuable tool for anyone, but most specially for extremely sensitive people.

It’s not an easy book, not at all! It’s very theoretical but it also has some practical exercises that I found really interesting and useful.

I like to say that, when it comes to information, timing is key. When we’re ready, the masters show up, that’s for sure! But if you’re yet at a level of consciousness that allows us to receive a particular type of information, than we shouldn’t force it. If I had read this book 3 or more years ago, I wouldn’t have been available to learn any of it’s lessons and it would probably have been a big waste of time.
That’s why I never push anyone to do or study anything, even if it was something life changing for me.
I’d rather throw this ideas into the wind and I’m positive ir will reach someone who is ready for it.
If you’re interested, check out the public library in your city and see if they have it. I got to read this one for free from the Lisbon’s public library.
Here’s a passage from the book:

Conscious sensibility, which you are about to explore and practice, is the ability to apprehend the subtle stimulus and non-verbal information that come from physical or non-physical sources, and to comprehend its respective meaning at the moment when it happens. As you deepen your ability to learn directly through the vibrations, you’ll notice countless progress in your life and that this new found power of consciousness can be used for things you never imagined possible.

And now back to the green smoothie…
I used MATCHA which is a powerful powdered green tea and I used spinach because it’s a great source of Vitamin C that actually helps the body to better assimilate the benefitial nutrients from the tea. To learn more about the powers of green tea and why I’ve been a fan for so long, read this.

I also added a little bit of CHLORELLA, an algae that contains vitamin B12, among other B vitamins and minerals like iron, zinc and magnesium. It is a powerful detox food and has the ability to clean heavy metals from our body, in addition to being wonderful for the immune system. It helps to balance the hormones and metabolism, has the power to lower cholesterol and gives a lot of energy. Chlorella has a really strong flavor and doesn’t work well in many recipes but it’s a good choice for this one because the mint is a stronger flavor.

(When my meal consists of only this smoothie, I double or triple the recipe.)

Ingredients:
(Organic, if possible)
2 very ripe bananas, fresh or frozen (Don’t eat bananas? Please, read this)
1 cup of spinach
1/2 cup of water
1 handful of fresh mint leaves or 1 drop of peppermint essential oil (100% pure and organic)
1/2 tablespoon of matcha powder (I used Iswari)
1/2 teaspoon of chlorella powder (I used Iswari)
Optional: 2 or 3 dates (without added syrups)

Directions:
If you use the dates, soak them first until they soften up a bit and then de-seed them. Place everything in a blender or food processor and blend until smooth. If you like your smoothies extra liquid, you can add more water and blend one more time. Pour it in a glass jar our cup (never use plastic if using essential oils) and enjoy with a good book!


9 Comments

8 Smoothies for a healthy New Year! ~ 8 Batidos para um ano novo saudável!

20150111-232307.jpg
(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Hoje trago-vos alguns dos batidos com frutas e vegetais que tenho feito nas últimas semanas para se inspirarem e perceberem como é fácil e simples fazer uma refeição saudável e deliciosa. Para além disso é rápido e o único equipamento que necessitam é de uma liquidificadora.

Se ainda não conhecem todos os benefícios e características dos batidos verdes, peço-vos que leiam primeiro este post onde explico tudo em pormenor.

Os batidos verdes são uma óptima opção para quem tem dificuldade em aumentar a quantidade de fruta e vegetais que consome no dia-a-dia e eu aconselho fazerem para a primeira refeição, logo de manhã. É uma óptima maneira de ficar com muita energia sem provocar picos de açúcar no sangue, isto porque estamos a consumir a fruta e os vegetais na sua totalidade, que tem a combinação perfeita de fibras, proteínas, vitaminas, minerais, açúcar e hidratos de carbono. Isto não acontece nos sumos, por exemplo. Quando bebemos um sumo estamos a consumir um pequena parte do alimento, sendo que essa parte é quase só açúcar.

Outra razão para escolher um batido logo pela manhã tem a ver com a digestão.
Os alimentos crus são digeridos muito mais depressa do que os alimentos cozinhados, por isso convém comer os crus antes de comer os cozinhados para evitar “engarrafamentos” no sistema digestivo.

Eu nunca perco muito tempo a pensar no batido que vou fazer. Tenho sempre muita fruta madura e vegetais em casa e improviso consoante o que há nesse dia.

Dito isto, há algumas regras (como a da digestão que já mencionei acima) que se deve ter em conta.
As pessoas mais sensíveis devem evitar juntar frutos doces com frutos ácidos. E alguns frutos como meloa ou melão nunca devem ser misturados com outros alimentos (nem mesmo outras frutas) porque são digeridos muito mais depressa e isso pode causar um grande caos digestivo.

Quando escolho as frutas penso se vou ter um dia muito cansativo e na quantidade de energia que irei gastar.
O meu melhor aliado para os dias com muito desgaste físico são bananas bem maduras. E se acham (como eu antigamente achava) que as bananas fazem mal ou engordam, leiam isto por favor.

Costumo usar alguns super alimentos mas não os considero essenciais para os batidos. São um mimo extra muito benéfico para a saúde, mas se não fizer parte da vossa despensa, não se preocupem e façam os batidos na mesma.
A base essencial para uma alimentação saudável são as frutas e vegetais biológicos em abundância.

Peço que tenham em conta que eu já bebo batidos há vários anos e que normalmente faço um batido como uma refeição completa. Quando comecei só conseguia beber cerca de metade da quantidade que faço hoje em dia porque o meu estômago não estava habituado a receber comida em abundância.
Estes batidos que partilho hoje convosco dão 1 litro, cerca de 4 cups/chávenas.
Se estiverem a começar, cortem as receitas pela metade e depois podem ir aumentando aos poucos e poucos.

Se não conseguirem beber tudo podem guardar num frasco/garrafa de vidro com tampa no frigorífico e beber no dia seguinte.

Para quem é novo nisto dos batidos verdes, peço que experimentem primeiro estas receitas. Também aconselho vivamente o batido “vacina contra a gripe” se começarem a sentir-se adoentados.

Estes batidos são o mais simples possível e só usei água, nem sequer usei leites vegetais para manter o custo o mais baixo possível.

Eu já não uso adoçantes nos batidos porque a fruta madura é suficientemente doce para mim, mas se precisarem de adoçar o sabor, aconselho que juntem 2 ou 3 tâmaras sem xaropes adicionados e sem caroços.

Espero que usem estas ideias como um ponto de partida flexível e que não se censurem de improvisar.
Para mais receitas de batidos basta fazer uma pesquisa rápida aqui no blog.

20150111-223316.jpg
Sempre que possível escolham alimentos e produtos biológicos.

1 ~ 4 folhas grandes de couve frisada, 3 bananas maduras, 4 laranjas, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1/2 colher de sopa de sementes de cânhamo descascadas e 1 colher de chá de chlorella

2 ~ 1 manga grande, 5 folhas grandes de acelgas, 1 naco de gengibre, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 2 colheres de chá de baobab (usei Iswari) e buckinis por cima.

3 ~ 5 bananas bem maduras, 1 cup/chávena de morangos, 1/3 cup/chávena de beterraba, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1 colher de sopa de Açaí (usei Iswari)

4 ~ 3 bananas, 2 kiwis, 1/2 limão com casca, 2 cups/chávenas de espinafres, 1 naco de gengibre, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1/2 colher de sopa de sementes de chia (usei Iswari).

20150111-223414.jpg
5 ~ 1 Manga pequena, 3 bananas, 2 courgettes, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1 colher de chá de erva trigo

6 ~ 2 cups/chávenas de ananás, 2 cenouras grandes, 2 maçãs, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1 colher de chá de matcha (usei Iswari)

7 ~ 1 manga grande, 3 cups/chávenas de couve frisada, 1/2 limão com casca, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1 colher de chá de spirulina

8 ~ 3 maçãs, 2 cenouras, 1 dióspiro (caqui) grande, 2 cups/chávenas de água
Opcional: 1 colher de sopa de canela e 1 colher de chá de maca

20150111-232454.jpg
ENGLISH:

Today I’m bringing you some of the smoothies with fruit and veggies that I’ve been making the last few weeks with the intention to inspire you and help you realize how easy and simple it is to have a healthy and delicious meal. In addition, it’s fast and all you need is a blender.

If you don’t know about the benefits and specifics of green smoothies, please read this post where I explain everything with much detail.

Green smoothies are a wonderful choice for those who want to increase the amount of fruits and veggies in their daily routine. I always advise people to have a smoothie for breakfast because it’s a great way do fuel the body with lots of energy but without any blood sugar highs. This doesn’t happen because we eat every single part of the fruits and veggies in their perfect combination of fibre, protein, vitamins, minerals, sugar and carbs. In contrast, when we drink juice we only get a small part of the food, and that part is mostly sugar.

Another reason to choose a smoothie early in the morning has to do with digestion. Raw food is digested a lot faster than cooked food so it is better to eat raw food before we eat the cooked food in order to avoid a big “traffic jam” in the digestive system.

I don’t really spent a lot of time thinking about what smoothie I should make. I simply play with whatever I have in my kitchen and I always have lots of ripe fruit and veggies.

That said, there are a few rules we should keep in mind (like the one about digestion I mentioned earlier). If you’re prone to difficult digestion you should avoid mixing acid and sweet fruit. And fruit such as melons or cantaloupes should always be eaten on their own, without mixing with anything (not even other fruit) because they’re digested much faster and it may cause some caos in the digestive system.

When choosing what fruit to eat, I do keep in mind what type of day I’ll be having and how much energy I’ll be spending.

My best friend for those days with heavy physical activities is a lot of ripe bananas. If you think (like I did a few years back) that bananas are bad for you and make you fat, please read this.

I have the habit of using superfoods but I don’t think they are essential when it comes to smoothies. I look at superfoods as something extra that helps me boost my health but if you don’t have it, don’t worry and make the green smoothies anyway.
The basis for a good healthy life is lots of organic veggies and fruit.

Please keep in mind that I’ve been drinking smoothies like these for some years and that my smoothies are usually a full meal. Back when I started, I could only eat about half of what I eat nowadays because my stomach wasn’t used to receiving food in abundance.

Today’s recipes make smoothies of about 1 litre (4 cups) but you can cut them in half if you’re getting used to this kind of meals.
With time, you may start increasing the quantities slowly.
If you can’t drink all at once, you can keep the rest of it in a glass jar/bottle with a lid and place it in the fridge until the next day.

If you’re very new to all of this green smoothie stuff, please try this recipes first. I also advise you to try my “flu shot” smoothie if you’re feeling under the wheather.

This recipes are as simple as it gets and I only used water instead of veggie/nut milks to keep the cost as low as possible.

I no longer feel the need to sweeten my smoothies because the ripe fruit is sweet enough for me but you may add 2 of 3 dates (without added syrups or seeds) if you want.

I hope you use this recipes as a flexible starting point and have the courage to improvise. Just remember to keep it simple and easy!

20150112-002709.jpg
When possible, choose organic food and products.

1 ~ 4 large kale leaves, 3 ripe bananas, 4 oranges, 2 cups of water
Optional: 1/2 tablespoon of hemp hearts and 1 teaspoon of chlorella

2 ~ 1 large mango, 5 large chard leaves, 1 slice of ginger, 2 cups of water
Optional: 2 teaspoons of baobab (I used Iswari) and buckinis on top.

3 ~ 5 ripe bananas, 1 cup of strawberries, 1/3 cup of beet, 2 cups of water
Optional: 1 tablespoon of Acai (I used Iswari)

4 ~ 3 ripe bananas, 2 kiwis, 1/2 lemon with skin, 2 cups of spinach, 1 slice of ginger, 2 cups of water
Optional: 1/2 tablespoon of chia seeds (I used Iswari).

20150112-002727.jpg
5 ~ 1 small mango, 3 ripe bananas, 2 zucchinis, 2 cups of water
Optional: 1 teaspoon of wheat grass

6 ~ 2 cups of pineapple, 2 large carrots, 2 apples, 2 cups of water
Optional: 1 teaspoon of matcha (I used Iswari)

7 ~ 1 large mango, 3 cups of kale, 1/2 lemon with skin, 2 cups of water
Optional: 1 teaspoon of spirulina

8 ~ 3 apples, 2 carrots, 1 large persimmon, 2 cups of water
Optional: 1 tablespoon of cinnamon and 1 teaspoon of maca


Leave a comment

My favorite Acai smoothie bowl ~ A minha tigela de Açaí preferida

20141218-185149.jpg
(Please scroll down for english version)

Eu não sou uma pessoa muito dada a manhãs, infelizmente, pelo menos até agora! Sim, ainda acredito que é possível vir a ser!

Acordo cedo sem qualquer problema sempre que tenho um compromisso com outras pessoas e nunca chego atrasada. Mas quando o compromisso é só comigo, é mais do que certo que fico na cama até tarde, mesmo que ponha o despertador a tocar de 15 em 15 minutos.

Mas tenho vindo a implementar algumas mudanças na minha rotina para tentar ser uma pessoa mais madrugadora, como por exemplo a minha bebida matinal e outras coisas que irei partilhar aqui em breve.

Algo que me dá uma motivacãozinha extra é uma boa refeição bem colorida!

Para terminar esta semana, trago-vos uma receita geradora de energia e boa disposição, óptima para começar bem o dia, especialmente aqueles dias com mais desgaste físico.

Para isso contribuem vários ingredientes sobre os quais já falei aqui antes: bananas, açaí e beterraba. Sim, beterraba!
Se ainda não conhecem bem estes alimentos e querem ficar a saber como eles são maravilhosos para o nosso equilíbrio, bem-estar, boa-disposição e até desintoxicação, clickem nos nomes acima e ficarão a saber.

Juntar açaí e beterraba permite-nos comer este tubérculo bem saudável sem ter que suportar o seu sabor forte e ainda ajuda a evitar picos de açúcar no sangue, fazendo com que a energia da fruta dure mais.

Não se preocupem porque esta taça é bem docinha mas já sabem que se quiserem podem sempre adicionar 2 ou 3 tâmaras para ficar ainda mais doce.

Eu gosto de comer as taças de açaí com buckinis porque é crocante e contrasta muito bem com a cremosidade das bananas mas, se preferirem, podem simplesmente juntar a vossa Granola favorita.

20141218-185224.jpg
E hoje deixo-vos mais uma citação, desta feita de um dos meus livros preferidos que ando a reler. O fim do ano é uma boa época para balanços e para recapitular o que andei a aprender.

O livro Spirit Junkie da Gabrielle Bernstein encontrou-me em 2012, proporcionando-me algumas das lições mais importantes da minha vida e ganho sempre algo quando o volto a ler.

Aprendi que muitas coisas que eu temia na minha vida não eram minimamente assustadoras, e não raras as vezes nem sequer reais.
Aprendi que o medo é simplesmente uma ilusão baseada em experiências passadas que transpomos para o presente e projectamos no futuro
.”

Identificar as crenças e os comportamentos que têm origem no medo é um dos instrumentos mais úteis que alguma vez recebi. Porque só apartir dessa tomada de consciência consigo libertar-me deles e criar espaço para que novas crenças e novos comportamentos que espelhem o meu verdadeiro eu possam florescer. E é aí e só aí que a vida se expande e começa a fazer sentido.

20141218-185243.jpg
Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
3 bananas bem maduras (não comes bananas? Lê isto, por favor)
1 cup/chávena de amoras (usei congeladas)
1/3 cup/chávena de beterraba crua sem casca
2/3 cup/chávena de água
1/2 colher de sopa de açaí cru em pó (usei Iswari)
Opcional: 2 ou 3 tâmaras (sem xaropes adicionados)

Instruções:
Se forem usar as tâmaras, ponham-nas de molho durante uns minutos até ficarem moles e depois retirem os caroços.
Ponham todos os ingredientes numa liquidificadora ou processador de comida e triturem muito bem.
Ponham o batido numa taça bonita (os olhos também comem) e adicionem a vossa fruta preferida, sementes, buckinis ou Granola.
Se preferirem beber em vez de comer com a colher, basta adicionar mais água quando triturarem.
E tenham um de semana fabuloso!

20141218-185301.jpg
English:

I’m not a morning person at all, unfortunately. At least not until now! Yes, I believe that change is possible!

I can wake up really early without any problem if I have some kind of commitment to someone else. But when the commitment is between me and myself, you can bet that I’ll stay in bed even if the alarm clock goes off every 15 minutes.

So I’ve been making some changes in my routine to make an effort and be more of an early bird, such as my morning drink and some other things I’ll share with you soon.

But something that always gives me a little extra motivation is a colorful breakfast!

To finish up this week, I’m sharing a recipe that generates a lot of energy and good spirits, great to start the day, specially on those days we need high energy levels.

There are several foods that I’ve mentioned before that contribute to that, such as bananas, acai and beets. Yes, beets!
If you want to learn how amazing this ingredients are to our balance, well-being, good mood and even detox, click on their names.

Mixing acai and beets makes it possible to eat this healthy root without having to deal with its strong flavour and it also prevents blood sugar highs, slowing down the energy we get from the fruits and making it last longer.

And don’t worry because this bowl is actually quite sweet but you may also add a couple of dates if you want to make it extra sweet.

I like adding buckinis to my acai bowls because it’s so crunchy and it’s a great contrast with the smootheness of the bananas, but you may simply add your favorite Granola.

20141218-185316.jpg
And today I’m sharing one more quote from one of my favorite books that I’ve been rereading.

The end of the year is always a good time to put things in perspective and recap my most recent lessons.

Spirit Junkie by Gabbrielle Bernstein found me in 2012 and has provided me some of the most valuable life lessons and I always gain so much when I go back and read it again.

“I’ve learned that many of the things I feared in my life weren’t the least frightening and often times, not even real. I’ve learned that fear is simply an illusion based on past experiences that we project into the present and onto the future.

One of the most useful tools I’ve come to acquire is to identify the beliefs and behaviors that come from fear. It’s throught that mindfulness that I can set myself free from it and make it possible to create space in order to develop new beliefs and behaviors that truly mirror my true self.
And then and only then life starts expanding and everything makes sense.

20141218-185335.jpg
Ingredients:
(Organic, if possible)
3 very ripe bananas (don’t eat bananas? Please read this)
1 cup of blackberries (I used frozen)
1/3 cup of raw beet without the skin
2/3 cup of water
1/2 tablespoon of raw Acai powder (I used Iswari)
Optional: 2 or 3 dates (without added syrups)

Directions:
If using dates, soak them for a few minutes until soft and then de-seed them.
Put everything in a blender or food processor and blend very well. Pour the smoothie on a really nice bowl (we eat with our eyes first!) and add your favorite fruit, seeds, buckinis or Granola.
If you would rather drink the smoothie, just add more water when blending.
And have an amazing weekend!

20141218-185416.jpg


Leave a comment

A flu shot in a Green Smoothie ~ Uma vacina contra a gripe num Batido Verde

20141125-175326.jpg
(Please scroll down for english version)

No que toca a viver livre de doenças, eu sou a favor da prevenção.
Mas prevenção feita através de hábitos e escolhas diárias saudáveis mantidos a longo prazo.

Não me consigo lembrar da última vez que tomei medicamentos ou que estive doente. Consegui libertar-me de uma vida condicionada por sinusites, renites e todo o tipo de alergias respiratórias porque deixei de consumir lacticínios e eliminei grande parte dos alimentos processados que antes consumia.

Os lacticínios contribuem em grande escala para a quantidade de inflamação presente no nosso organismo e quando deixamos de consumir este tipo de produto podemos ver recuperações estrondosas ao nível de problemas respiratórios e de pele, entre outros.
Se não acreditam podem sempre fazer uma experiência de 1 ou 2 meses e irão testemunhar isso mesmo. A diferença é tão grande que quase parece magia!

Um dos hábitos diários que contribui imenso para manter o sistema imunitário forte é a bebida que faço todas as manhãs. É um hábito tão simples e fácil de inserir em qualquer rotina mas tem um impacto muito positivo na nossa saúde em geral.

E quando sinto que preciso de uma ajudinha extra durante o inverno, recorro ao óleo essencial de oregãos que é um antibiótico natural.

20141125-175352.jpg
Mas uma das melhores ferramentas do meu kit de prevenção é esta vacina contra a gripe!

Este batido verde é uma bomba carregada de agentes anti inflamatórios. É muito rico em vitaminas, incluindo a vitamina C, vários minerais (incluindo o ferro que é fundamental para a absorção da vitamina C) e até ácidos gordos essenciais. A salsa é um alimento fantástico para a saúde e poderão ficar a conhecer melhor esta plantinha aqui.

Um dos meus alimentos favoritos é o gengibre e uso-o diariamente, normalmente fresco e num batido.

O gengibre é um anti-inflamatório muito potente que combate dores e inflamações por todo o corpo, desde os músculos, articulações, sistema respiratório, sistema digestivo, etc.
Melhora o funcionamento do metabolismo e também tem o poder de aliviar vários tipos de dor, desde dores pós-cirurgia, dores menstruais, náusea, enjoos ou enxaquecas.
É também anti-ácido, contribuindo para melhorar a digestão, diminuir a flatulência e ainda ajuda o nosso organismo a assimilar melhor minerais essenciais à nossa saúde. Esta raíz é uma boa fonte de antioxidantes e também é anti-viral e anti-parasitas
.

Este batido é um poderoso desintoxicante e ajuda-me a alcalinizar o meu pH, o que é essential para eliminar a inflamação no organismo. Tem sido extensivamente reportado em muitos estudos que é necessário um ambiente ácido para que as inflamações (e até cancros) consigam existir.

Comer comida crua com bastantes plantas verdes é fundamental para alcalinizar o nosso organismo.
E o limão, apesar de ter um sabor ácido, é um dos alimentos mais alcalinizantes e que podemos consumir habitualmente.

Se tiverem dificuldade em suportar o sabor forte do limão podem juntar ao batido algumas tâmaras ou o vosso adoçante saudável preferido.

20141125-175440.jpg
Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
2 maçãs (também resulta bem com pêras)
1 cup/chávena de verduras que gostem (couve, espinafres, acelgas, nabiças)
1 cup/chávena de água
1 mão cheia de salsa
1/2 limão pequeno com casca e tudo
1 pedaço de gengibre (mais ou menos do tamanho de um polegar)
Opcional:
1/2 colher de sopa de sementes de chia ou cânhamo
2 ou 3 tâmaras (se não gostarem do sabor ácido do limão)

Instruções:
Se usarem as tâmaras, ponham-nas de molho durante alguns minutos até ficarem moles e depois retirem os caroços.
Cortem o gengibre e tirem a casca.
Cortem as maçãs e retirem os caroços e as hastes (eu deixo ficar a casca).
Juntar tudo numa liquidificafora ou processador de comida e triturar muito bem, tendo a certeza que já não há pedaços de nenhum ingredientes. Beber logo a seguir ou guardar no frigorífico até ao dia seguinte.

20141125-175501.jpg
English:

When it comes to staying disease free, I’m all about prevention.
But prevention that comes from lifelong healthy habits and choices practised on a daily basis.

I can’t really remember the last time I took medication or the last time I felt sick.
Staying away from dairy and processed foods set me free from a lifelong relationship with synus infection and several respiratory allergies.

Dairy contributes greatly to the amount of infection that occurs in our bodies and eliminating it from the diet makes a huge difference in all respiratory and even skin issues, among other things. If you don’t believe me give it a try for a couple of months and you’ll see it for yourself. It’s such a difference it almost seems like magic!

Another thing I do on a daily basis to improve my immune system is my morning routine drink. It’s such a simple habit with a lot of positive results on my overall health and I couldn’t recommend it more.

And when I actually feel like a need an extra boost during the winter I use oregano essential oil because it is a natural antibiotic.

20141125-175522.jpg
But another great tool in my prevention kit is this flu shot!

This green smoothie is a bomb filled with anti inflammatory ingredients. It’s also very rich in vitamins including vitamin C, many minerals (like iron that is essential for vitamin C absorption) and even fatty essencial acids. Parsley is an amazing little plant that works wonders! You can read more about it here.

Ginger is one of my favorite foods and I eat it daily, usually fresh blended in a smoothie.

It’s a powerful anti-inflammatory that fights pain and inflammation throughout the whole body, from muscles, joints, respiratory system, digestive system and so on. Ginger gives a great boost to the metabolism and has the power to improve all sorts of pain like post-surgery pain, menstrual pain, nausea, sickness or migraines. It’s also an antacid that improves digestion, aliviates flatulence and aids in the assimilation of important minerals. This root is also a rich source of anti-oxidants and it’s anti-viral and anti-parasites.

This smoothie gives me a powerful detox and it brings my pH to alkaline, which is essential to eliminate inflammation in the body. It has been extensively reported in many studies that all types of inflammation and even cancer can only survive in acidic environments.

Eating raw foods with plenty of leafy greens is crucial to alkaline the body. And lemons, even tough acidic in taste, are one of the most powerful alkalizing foods and we can eat it often.

If you have a hard time with a strong lemony taste, add a couple of dates or your favorite healthy sweetner and it will work just as well.

20141125-175637.jpg
Ingredients:
(If possible, organic)
2 apples (also works great with pears)
1 cup of your favorite greens (kale, spinach, chard, turnip greens)
1 cup of water
1 handful of parsley
1/2 of a small lemon with skin and everything!
1 piece of ginger (about the size of a thumb)
Optional:
1/2 tablespoon of chia seeds or hemp hearts
2 or 3 dates (if you can’t stand the bitter taste of lemon)

Directions:
If you’re using dates, soak them for a few minutes to make them soft and deseed them.
Chop the ginger and peel it. Chop the apples, deseed and destem them (I like eating the skin).
Put everything in a blender or food processor and blend until you get a smooth and even looking smoothie.
Enjoy right away or keep it in the fridge until the next day.

20141125-175619.jpg