The extra in the ordinary

By Catarina Guimarães


Leave a comment

Pudim de chia e romã ~ Pomegranate chia pudding

(Please scroll down for english version)IMG_4239

Se há coisa que eu não me canso de transmitir, é isto:

Ser vegan é fácil.

A sério, é fácil. Fico tão triste quando as pessoas usam a desculpa do “é tão complicado” sem sequer tentar. Não é mesmo nada complicado, acredita. A única parte difícil de ser vegan é a mudança de paradigma inicial. Deixar de ver os vegetais como aquele montinho minúsculo de folhinhas que acompanham o prato principal e deixar de ter medo de fruta. Essa parte inicial exige bastante ginástica mental e emocional – é preciso fazer o trabalho de casa, pesquisar receitas, ter exemplos, sair da caixinha de conforto, experimentar o mundo gigante de opções que há e que nem sabíamos que existia. A sério, eu antes de ser vegana não conhecia nem 1/10 dos alimentos que como hoje em dia. Essa mudança de mentalidade e perspectiva pode exigir alguma dedicação e esforço, sim. Mas é uma questão de hábito, como tudo na vida.
Apartir daí, não podia ser mais simples. Eu faço milhares de variações da mesma receita e faço refeições super simples mas muitíssimo mais ricas do que as que comia antigamente. Sopas, guisados, empadões, saladas, batidos, papas de aveia, bolinhas energéticas, hambúrgueres de vegetais, massa, crepes, etc – cru ou cozinhado, uso a mesma receita como base mas mudo sempre qualquer coisa. Não há arroz? Faço com batata. Não há banana? Faço com manga. Nunca saio a correr à última da hora para ir comprar aquele ingrediente xpto. Se não há, usa-se outra coisa. Improvisar e simplificar, é esse o meu mantra. Só umas 2 ou 3 ou vezes por mês é que me apetece fazer algo completamente diferente e aí sim, ponho-me com pesquisas e experimentações mais elaboradas. Mas no dia a dia? Nop. E nunca sinto que a minha alimentação é monótona. Para além disso, ser vegan fica mais barato. A sério. Se não desatares a comprar produtos processados vais ver que consegues poupar bastante dinheirinho com uma alimentação 100% vegetal.

A sério. É fácil. Eu nunca sequer consegui fazer uma omelete de jeito e faço montes de pratos veganos com uma perna às costas! (e com uma mão no telemóvel… hehehe)
A sério. É facil.

Tal como este pudim de chia. Há quem chame pudim de chia ou mousse de chia. Independentemente do nome, é sempre delicioso. É fácil de preparar e é super portátil para levar para o trabalho/escola/praia/whatever…
Dá para fazer com qualquer sumo de fruta e basta adaptar a quantidade de adoçante consoante a doçura natural da fruta que escolherem.
E é muitíssimo saciante e nutritivo – para ficar a saber mais sobre os benefícios da chia, espreita este post.

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
3 colheres de sopa com sementes de chia (usei da Iswari)
1/2 cup/chávena de sumo de romã (usei o da Sonatural)
1 colher de chá de xarope de ácer (maple syrup)
1 colher de chá com raspas de casca de limão

Instruções:
~ deitar todos os ingredientes num frasco com tampa
~ mexer muito bem para que todas as sementes fiquem submersas no sumo
~ tapar o frasco e deixar no frigorifico durante cerca de 3 horas para que as sementes inchem
~ comer à colher, directamente do frasquinho

Podes juntar fruta fresca em cima do pudim, se te apetecer.

(as marcas indicadas ofereceram os produtos que usei)

IMG_4244

English:

If there’s something I never get tired of sharing, is this:

Being vegan is easy.

Really. It’s easy. I get so sad when people use the “it’s so difficult” excuse without even trying. It really isn’t complicated, believe me. The only hard part about being vegan is the initial change of paradigm. When we have to stop being afraid of fruit and stop thinking about veggies as the little bit of green stuff that comes with the main dish. That initial part actually demands some mental and emotional effort – we need to do our homework, research a lot of recipes, find people to follow as examples, get out of our little comfortable box and try the gigantic amount of plant based food we didn’t even know existed. Seriously, I didn’t even know 1/10 of the food I eat regularly now. That shift of perspective and mentality might require some dedication and effort, yes. But it’s a matter of habit, like most things in life.

From then on, it couldn’t be easier. I make millions of variations of the same recipe and I put together super simple but very rich meals. A lot richer than what I used to eat before I was vegan. Soups, stews, casseroles, salads, smoothies, oatmeal, energy balls, veggie burguers, pasta, rolls, etc – Raw or cooked, I use the same recipe as base and I change something every time. No rice? I’ll use potatoes. No bananas? I’ll use mango. I never go shopping in a rush at the last minute looking for that extra special ingredient. If I don’t have it, I don’t use it. Improvise and simplify, that’s my mantra. I only feel like doing something completely different 2 or 3 times every month. and that’s when I spend some time doing research and experimenting stuff. But for my daily life? Nop. And I never feel like my diet is boring. Besides, being vegan is actually cheaper. Really. Unless you have the habit of bying tons of processed food, you’ll end up saving lots of money on a plant based diet.

Really. It’s easy. I’ve never even been able to make a decent omelette and I can make lots of vegan meals in a heartbeat. (and sometimes with only one hand because… well, phone… hehehehe)
Really. It’s easy.

Just like this chia pudding. It’s super simple to make and very easy to take with you when going to work/school/beach/whatever…
You may do it with any fruit juice you want. Simply adjust the amount of sweetener according to the natural sweetness of your chosen fruit.
It’s also super satiating and nutritious. For more info on the benefits of chia seeds, please check out this post.

Ingredients:
(organic, if possible)
3 tablespoons of chia seeds (I used Iswari)
1/2 cup of pomegranate juice (I used SoNatural)
1 teaspoon of maple syrup
1 teaspoon of lemon zest

Directions:
~ put all ingredientes inside a jar with a lid
~ stir really well so that all seeds are submerged in juice
~ put the lid on and leave it in the fridge for about 3 hours so that the seeds become larger
~ eat with a spoon, straight from the jar

feel free to add more fresh fruit o top of your pudding

(the brands I named offered the products I used in this recipe)

 

Advertisements


Leave a comment

O Batido Verde mais simples de sempre ~ The easiest Green Smoothie ever

(Please scroll down for English version)IMG_3866Não há nada como voltar ao básico, ao simples e ao fácil. É refrescante ver e saber que não é preciso nada de muito complicado para sermos saudáveis e felizes. Por isso hoje a receita é bem simples, uma homenagem ao lema “menos é mais”.

E se ainda não estás muito familiarizada com a ideia dos batidos verdes, podes inspirar-te aqui e tirar as dúvidas aqui.

Ingredientes:
2 bananas congeladas
2 cups de sumo de aipo e pepino (usei o da SoNatural)

Instruções:
~ juntar tudo numa liquidificadora e triturar até ficar cremoso, sem pedaços de banana
~ pôr num copo ou frasco e beber logo a seguir

(o sumo usado nesta receita foi oferecido)

IMG_3882English:

There’s nothing like going back to basic, to what’s simple and easy. It’s very refreshing to see and know that we don’t need a lot of complicated things in order to be healthy and happy. That’s why today’s recipe is so simple, and ode to the mantra “less is more”.

If you’re not familiarised with the concept of green smoothies, you may find lots of info about it here and a lot more inspiration here.

Ingredients:
2 frozen bananas
2 cups of cucumber and celery juice (I used the one from SoNatural)

Directions:
~ place everything in a blender and process until creamy and smooth, without nay banana chunks
~ pour it in a glass and drink it right away. Enjoy!

(the juice I used in this recipe was offered)

IMG_3874


Leave a comment

Panquecas de espelta e frutos vermelhos ~ Spelt pancakes with berries

(Please scroll down for english version)

“Um homem só se aproxima do seu eu verdadeiro quando atinge a seriedade de uma criança que brinca”. ~ Heráclito

A altura das festas do Natal é provavelmente a altura em que quase todos nós nos sentimos mais ligados à nossa criança interior. E que bom seria se conseguíssemos nutrir e cuidar dessa relação tão importante todo o ano… Tenho andado a tentar fazer exatamente isso e, no outro dia, dei por fim com desejos de começar o fim de semana de pijama na cozinha a fazer panquecas! Sim, panquecas!! Logo eu que raramente como fritos e nunca, mas nunca cozinho nada numa frigideira!

Mas deixei-me guiar por esse desejo e dei asas à criatividade… Como podem ver pelas fotos, não tenho mesmo prática nenhuma a fazer panquecas e a minha técnica precisa de ser aperfeiçoada e muito! Mas apesar de terem ficado feiosas, estas panquecas ficaram uma verdadeira delícia. O truque aqui foi usar o leite de amêndoas da SoNatural que também tem fruta e fica bem espesso mas muito levezinho. Já tentei esta receita com outros leites e não tive tanto sucesso, por isso aconselho mesmo a usarem este. Espero que gostem tanto quanto nós gostámos!IMG_2626Ingredientes:
(se possível, biológicos)

1 cup/chávena de farinha de espelta
1 cup/chávena de leite de amêndoas com frutos silvestres da SoNatural
2 colheres de sopa de xarope de ácer (ou açúcar de côco)
2 colheres de chá com fermento em pó
1 mão cheia de frutos silvestres (frescos ou congelados)
pitada de sal

E óleo de côco para fritar

Instruções:
~ misture a farinha, fermento, xarope de ácer, sal e leite numa taça grande
~ ponha uma frigideira ao lume médio e deite uma colher de óleo de côco para derreter até ficar bem quente
~ use a cup/chávena de 1/4 para deitar a massa na frigideira. Logo de seguida, junte meia dúzia de frutos silvestres por cima da panqueca
~ deixe fritar durante cerca de 3 minutos de cada lado da panqueca. Use uma espátula para virá-la para fritar bem dos 2 lados.
~ antes de voltar a pôr massa para mais uma panqueca, verifique se precisa de adicionar mais óleo. Faça sempre isto entre cada panqueca
~ servir num prato e adicionar por cima mais frutos silvestres e xarope de ácer a gosto

Esta receita deu 6 panquecas. O leite usado foi oferta da So Natural.

English:

“Man is mostly himself when he achieves the seriousness of a child at play” ~ Heraclitus

Christmas is probably the time of the year when most of us feel more connected to our inner child. And how great would it be if we could nurture that relationship all year long? I’ve been trying to engage more with my inner child and a few weeks ago I found myself craving pancakes! Yes, pancakes! Me, of all people! The person who almost never eats fried food and never ever cooks with frying pans! But I allowed myself to follow that desire and opened up my creativity. And so I started my saturday in my pjs making pancakes in the kitchen…

As you can see in the photos, I’m really not used to making pancakes and my technique needs to be improved… a lot! But despite being ugly, these pancakes turned out delicious. The trick here is using the almond milk from SoNatural because it also has fruit in it. It’s quite thick but very light and it works perfectly for this recipe. I’ve tried other plant based milks and didn’t have much success. I hope you enjoy it as much as we did!IMG_2626Ingredients:
(organic, if possible)

1 cup of spelt flour
1 cup of almond milk with berries from SoNatural
2 tablespoons of maple syrup (or coconut sugar)
2 teaspoons of baking powder
1 handful of mixed berries (fresh or frozen)
a dash of salt

And coconut oil for frying

Directions:
~ use a large container and mix the flour with the maple syrup, baking powder, salt and milk
~ put a large frying pan in medium heat. Add a bit of coconut oil and wait until it gets really hot
~ use the 1/4 cup to pour the pancake dough on the pan. Then add a few berries on top of the pancake
~ let it fry for about 3 minutes on each side of the pancake. Use a spatula to take it out of the pan
~ before pouring the dough for the second one, make sure the pan has enough oil. Add more oil whenever needed and always check between each new pancake
~ serve on a plate and add more berries and maple syrup on top of the pancakes

This recipe gave me 6 pancakes. The milk I used was offered by SoNatural


Leave a comment

Papas de aveia doces com cenoura ~ Carrot cake oatmeal porridge

aveia1(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

“A prática do perdão é a nossa mais importante contribuição para a cura do mundo” ~ Marianne Williamson

Ultimamente este tema tem surgido bastante em conversas e torna-se claro como a palavra perdão continua a ser alvo de interpretações muito negativas. Perdoar não significa fazer de conta que nada se passou, perdoar não significa ignorar ou desculpar o sofrimento que alguém nos provocou, perdoar não significa passarmos a ser amigos de quem nos prejudicou. Perdoar não é uma prenda para o outro, mas sim para nós próprios. É deixarmos de carregar com o peso de algo que já aconteceu e que nunca vai mudar. É deixar secar a ferida em vez de a picar constantemente.

Há uma vida antes e depois do perdão. Nada nunca mais é o mesmo.
Libertar os ombros desse peso é um trabalho interno muito pessoal e que ninguém pode fazer por nós, mas vale a pena, vale mais a pena do que provavelmente qualquer outra coisa e quem ganha somos nós e todos e tudo à nossa volta. 

Convido-vos a ler este post onde falo sobre este assunto com mais pormenor e onde partilho um exercício que pratico desde há muitos anos e que me tem ajudado imenso a desenvolver a capacidade de perdoar.

Por vezes a pessoa que nos custa mais a perdoar é a nós mesmos. Fazemos muito para nos boicotar e prejudicar e por vezes é difícil aceitar e perdoar isso. Cada refeição é uma boa oportunidade para alimentarmos também o nosso amor próprio, escolhendo alimentos que cuidem e nutram o nosso corpo, a nossa casinha.

Estas papas de aveia são uma óptima opção para o pequeno almoço nos meses mais frios. Tem imensa fibra para ajudar o sistema digestivo a funcionar bem e a limpar o organismo de tudo o que já não precisa. É saciante, nutritivo e docinho!

Aqui fica…

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
1 cup/chávena de leite vegetal (sem açúcar)
1/2 cup/chávena de flocos de aveia sem glúten
1/3 cup/chávena de cenoura ralada bem fininha
1/3 de colher de sopa de xarope de ácer (ou açucar de côco)
1 bocadinho de gengibre fresco (do tamanho da unha do mindinho)
Pitada de canela
Pitada de baunilha (opcional)
Pitada de sumo de limão (opcional)

Para toppings:
Arandos secos
Amêndoas
sementes de chia
(Outras opções boas são côco ralado, rodelas de banana, manteiga de amêndoas, pepitas de cacau)

Instruções:
~ pôr tudo dentro de uma panelinha (excepto os toppings) e misturar muito bem
~ deixar em lume brando e ir misturando com uma colher para não colar no fundo
~ deixar ao lume até ficar com a consistência desejada (eu gosto das papas ligeiramente líquidas)
~ servir numa taça e juntar os toppings
~ comer logo de seguida

aveia4ENGLISH:

“The practice of forgiveness is our most important contribution to the healing of the world.” ~ Marianne Williamson

This subject has been coming up a lot lately in my life and it has become clear to me that the word forgiveness still has a lot of negative interpretations. To forgive doesn’t mean to pretend that nothing happened, to forgive doesn’t mean you ignore or deny the suffering someone inflicted on you, to forgive doesn’t mean you have to become friends with someone that harmed you. Forgiveness is not a gift to the other person, it is a gift to yourself. It means letting go of the weight of something that is long gone and will never change. It´s letting the wounds heal instead of poking them all the time.

There’s a life before forgiveness and there’s a life after it. Nothing is never the same. Releasing ourselves from all the weight we have been carrying on our shoulders is a personal inside work that no one else can do for us. But it’s worth it, it’s worth it more than probably any other thing and you’ll benefit from it as much as everyone and everything around you.

I invite to read this post where I write about this subject and share an exercise I’ve been practicing for quite some years that has helped me a lot with forgiveness.

Sometimes the hardest thing is to forgive ourselves. We do so much to boycott and harm ourselves and it can be difficult to accept and forgive that. Every meal is a good opportunity to feed our self love, choosing foods that nurture our body, our little home.

This oatmeal porridge is a great choice for breakfast for the colder days. It has a lot of fiber and helps the digestive system work harmoniously, releasing everything that no longer serves the body. It’s filling, nutritious and sweet!

So here’s the recipe…

Ingredients:
(Organic, if possible)
1 cup of unsweetened plant based milk
1/2 cup of gluten free oats
1/3 cup of finely shredded carrots
1/3 tablespoon of maple syrup (or coconut sugar)
a little bit of fresh ginger (about the size of a pinky fingernail)
a dash of cinnamon
a dash of vanilla (optional)
a dash of lemon juice (optional)

For the toppings:
dried cranberries
almonds
chia seeds
(other good options are: desiccated coconut, sliced banana, almond butter, cacao nibs)

Directions:
~ put everything (except the toppings) in a small pan in low heat
~ use a spoon to mix it well and make sure it doesn’t stick to the bottom
~ let it cook until it reaches the desired textured (I like it a bit moist and liquid)
~ pour it in a bowl and add the toppings
~ eat it while it’s still warm

aveia 2


Leave a comment

Bolo de mirtilos, limão e gengibre ~ Blueberry, ginger and lemon cake

bolo sumo3

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

“O teu papel não é tornar os outros felizes; o teu papel é manteres-te em equilíbrio. Quando prestas atenção a como te sentes e praticas pensamentos empoderadores alinhados com quem-tu-realmente-és, irás oferecer um exemplo de crescimento que terá um valor tremendo para os que têm o beneficio de te observar. Não é a ser pobre que vais ajudar os pobres a prosperarem e não é a ser doente que vais ajudar os doentes a ficarem melhor. Só poderás elevar os outros estando numa posição de força, clareza e alinhamento.” ~ Abraham

Hoje quis trazer-vos estas palavras porque sei que muitas das leitoras que me brindam com visitas são pessoas sensíveis, empáticas e generosas. E isso é maravilhoso! Não é uma fragilidade mas sim um tremendo poder. Mas a dada altura da nossa vida temos que perceber que não podemos carregar com os problemas dos outros e que não podemos arcar com os sentimentos negativos que nascem nos corações dos que nos rodeiam. Por muito que o façamos, não aliviamos o peso deles e só aumentamos o nosso. os que chegar ao momento em que aprendemos que antes de sermos boas amigas para os outros, temos que ser uma boa amiga para nós próprias. E isso muitas vezes passa por aprender a dizer não e a impor limites. E haverá sempre quem tente provocar a culpa em nós por já não fazermos dos outros a nossa prioridade. Mas assim é que deve ser. Os verdadeiros amigos irão compreender a nossa mudança e até a irão ver como algo positivo. Esses são os amigos que vale a pena manter!

Amizades verdadeiras são tão importantes para a qualidade de vida e para a saúde como uma boa alimentação.
Hoje deixo aqui uma receita para uma guloseima para partilhar com os amigos enquanto bebem chá. É um bolo vegano e sem glúten de mirtilos, limão e gengibre. E se tiverem ainda alguma culpa por comer doces, aproveitem para libertar tudo isso com cada dentada. Este bolinho é saudável e fácil de fazer.

bolo sumo

Aqui fica a receita:

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
1 1/2 cup/chávena de farinha de arroz
1 cup/chávena de mirtilos
3/4 cup/chávena de leite de arroz (sem açúcar)
1/2 cup/chávena de xarope de ácer (maple syrup)
1/3 cup/chávena de óleo de côco
1/2 cup/chávena de sumo de gengibre (usei o sumo de gengibre e maçã da SoNatural) e mais 2 ou 3 colheres de sopa para regar no fim
1 ovo de chia (1 colher de sopa com sementes de chia misturado com 3 colheres de sopa com água)
1 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de baunilha em pó
raspa de 1 limão

Instruções:
~ preparar o ovo de chia e deixar de molho cerca de 10 minutos para as sementes incharem
~ juntar os ingredientes secos numa taça grande e misturar muito bem
~ noutra taça misturar todos os ingredientes líquidos
~ juntar os líquidos na taça dos secos e misturar bem. No fim adicionar os mirtilos sem mexer muito.
~ pôr a massa numa forma com papel vegetal e deixar no forno a 280ºC (entre 70 a 80 minutos)
~ deixar arrefecer na forma. Fazer uns buraquinhos no bolo com um palito e regar com 2 ou 3 colheres de sopa de sumo de gengibre. Cortar em fatias e servir.

(o sumo que usei foi oferecido pela Sonatural)

bolo sumo4

(ENGLISH)

“It is not your role to make others happy; it is your role to keep yourself in balance. When you pay attention to how you feel and practice self-empowering thoughts that align with who-you-really-are, you will offer an example of thriving that will be of tremendous value to those who have the benefit of observing you. You cannot get poor enough to help poor people thrive or sick enough to help sick people get well. You only ever uplift from your position of strength and clarity and alignment.” ~ Abraham

I bring you these words today because I know a lot of the readers that grace me with their visits are very sensitive, empathic and generous people. And that is a wonderful thing! It’s not a flaw but a tremendous power. But there is a time in life when we must understand that we cannot carry other people’s problems or negative feelings for them. As much as we do it, their burden doesn’t become lighter and we are only increasing our own. We must come to a moment when we learn that we can only be a good friend to others if we befriend ourselves first. And that usually means learning how to say no. And there will always be someone unhappy about our choice of putting ourselves first, because they will no longer be our priority. But that’s the way it should be. And true friends will understand that change and even see it as a good thing. Those are the friends worth keeping.

True and honest friendships are just as important for quality of life and health as a good diet. Today I’m posting a recipe for a sweet treat that you may share with your friends over tea. It’s a vegan and gluten free blueberry, lemon and ginger cake and you can enjoy it releasing any guilt you may still have about eating cake. It’s healthy and easy to make.

bolo sumo2

So here’s the recipe:

Ingredients:
(organic if possible)
1 1/2 cup of rice flour
1 cup of blueberries
3/4 cup of rice milk (sugar free)
1/2 cup of maple syrup
1/3 cup of coconut oil
1/2 cup of ginger juice (I used Sonatural’s ginger and apple juice) and 2 or 3 tablespoons to add at the end
1 chia egg (1 tablespoon of chia seeds mixed in 3 tablespoons of water)
1 teaspoon of baking powder
1/2 teaspoon of vanilla powder
zest from 1 lemon

Directions:
~ make the chia egg and leave it soaking for about 10 minutes
~ place all dry ingredients in a big bowl and stir
~ place all wet ingredients in another bowl and stir
~ add wet ingredients to dry ingredients and stir really well. Add the blueberries at the end and try not to stir that much.
~ pour the batter in a cake or bread pan covered with cooking paper
~ put it in the oven (about 280ºC) for about 70 or 80 minutes
~ take it out of the oven and let it cool down still inside the pan. When it’s cold, make a few tiny holes with a toothpick and pour some juice on top of the cake (about 2 or 3 tablespoons). Slice and serve.

(the juice I used in this recipe was offered by SoNatural)


Leave a comment

Aveia nocturna (overnight oats) com sumo de frutos silvestres ~ Overnight oats with berries juice

FullSizeRender-8

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Lembram-se de quando partilhei a primeira receita de overnight oats? Já foi em 2014 e na altura partilhei porque era o pequeno almoço preferido da minha mãe. Baptizei a receita de aveia nocturna porque acho que a nossa língua tem palavras que cheguem para expressar absolutamente tudo. Desde esse dia que tenho encontrado muitas pessoas que me contam como essa receita revolucionou completamente as suas manhãs. É tão fácil de preparar e é um pequeno almoço tão saciante e nutritivo! Começar bem o dia também tem a ver com aquilo que comemos para quebrar o jejum. E com uma mudança tão simples fazem um grande favor à sua saúde, especialmente ao sistema digestivo.

Hoje trago uma versão desta receita com sumo de fruta ~ bem fresquinha para combinar com o verão. (Logo hoje que Agosto nos brindou com frio, chuvadas, trovoada e tudo!)

Ingredientes:

250 ml de sumo de frutos vermelhos da Sonatural
1 cup/chávena de focos de aveia sem glúten
1 banana madura
3 morangos maduros
1 mão cheia de mirtilos, framboesa ou amoras
Opcional: 1 colher de sopa com xarope de ácer (maple syrup)

(podem ainda adicionar côco ralado, sementes ou frutos secos, se assim desejarem)

 

Instruções:
~ deitar o sumo num frasco com tampa.
~ juntar os flocos de aveia (e o xarope, se assim desejarem).
~ misturar tudo muito bem com uma colher ( se quiserem comer directamente do frasco, juntem logo as frutas por cima. Se não, podem adicioná-las depois de tirar o fracos do frio, pondo tudo numa taça como mostram as fotos)
~ fechar a tampa do frasco e deixar ficar no frigorífico durante a noite ou, no mínimo, durante cerca de 2 horas
~ quando estiver pronto, retirar o frasco do frigorífico e comer com uma colher.

Espero que este pequeno almoço (ou lanche) vos deixe inspirados para desfrutar o dia!

Desculpem os posts tão curtinhos dos últimos tempos, mas tenho andado a aproveitar ao máximo o sol e o bom tempo!

(o sumo utilizado nesta receita foi oferecido pela Sonatural)

FullSizeRender-7

ENGLISH:

Remember when I shared my first overnight oats recipe? It was back in 2014! I first shared my mom’s favourite recipe and since that day I’ve met so many people that love it too. Not only that but they tell me how much it has changed their mornings. It’s so easy to make and it’s such a nutritious and filling meal! Starting the day off right also means to pay attention how you choose to break your fast in the morning. And such a small and simple change has a really big impact on your heath, specially the digestive system.

Today I’m sharing a new recipe I made with berries juice ~ really fresh and it goes so well with summer. (And just to prove me wrong Lisbon has been so cold today, with rain and thunderstorms and all!)

Ingredients:

250ml of berries juice from Sonatural
1 cup of gluten free oats
1 ripe banana
3 ripe strawberries
1 handful of your favourite berries
Optional: 1 tablespoon of maple syrup

(You may also add coconut flakes, seeds or nuts, if you wish to)

Directions:
~ pour the juice inside a jar with a lid
~ add the oats (and the syrup, if using)
~ mix really well using a spoon
~ if you’re planning on eating it straight from the jar, you may add the fruit and toppings right now. (otherwise simply add it after you take the jar out of the fridge. put everything in a bowl and eat it like I’m showing in the pictures)
~ close the lid and leave it in the fridge overnight or at least for 2 hours
~ when its ready, simply take it out of the fridge and eat it with a spoon

I hope this recipe gets you in a really good mood to enjoy the day to the fullest!

Sorry for the short posts lately, but I’ve been trying to enjoy most of the summer outdoors!

(the juice used in this recipe was offered by Sonatural)

 


2 Comments

19 receitas veganas tradicionais para quem está em transição

Hoje escrevo só em português porque o post é exactamente para portugueses que estejam em fase de transição, dando os primeiros passos numa alimentação vegana.

Na outra semana um rapazinho bem novinho (cerca de 11 anos) que mora no meu prédio foi pedir á minha mãe receitas veganas. Contou que aprendeu com uma professora na escola que comer animais faz mal á saúde e ao ambiente. E o pequenito decidiu deixar de comer animais! Primeiro tenho que dar os parabéns a esta e a todas as professoras que inspiram e incentivam os alunos. Isto só me mostra como a nossa atitude, a nossa voz e a nossa dedicação têm o poder de mudar o mundo, por muito que nos sintamos pequenos ou isolados!

Bem-haja, professora!

Depois, claro que fui à procura de receitas para inspirar o menino e a sua mãe (apesar de ele estar determinado em cozinhar sozinho, caso a mãe não esteja com muita vontade de colaborar). Pensei que o ideal seriam receitas que fossem tradicionais, com ingredientes, texturas e sabores familiares. Sendo assim, fiz uma pesquisa online e foquei-me mais em pratos principais tipicamente portugueses ou bastante populares no nosso país.

Lembrei-me que, tal  como este menino, poderá haver mais pessoas nesta situação de transição e achei por bem partilhar aqui as receitas que lhe enviei. Quem me conhece sabe que não é o tipo de receitas que eu faço para mim, mas são uma óptima opção para muita gente cuja intenção seja, única e exclusivamente, a de deixar de comer animais.

Deixo só um pequeno reparo – o azeite não deve ser usado para cozinhar porque tem um ponto de fervura baixo e, quando se ultrapassa esse ponto, ou seja, quando o azeite começa a fazer bolhinhas ou a evaporar, torna-se cancerígeno. O óleo que aguenta melhor as altas temperaturas é o óleo de côco, por isso é o único óleo saudável para cozinhar.

Pronto, já disse o que achava mesmo essencial, por isso deixo-vos a lista das receitinhas que encontrei. Inspirem-se!

IMG_0042(foto de Compassionate Cuisine)

Pratos principais

IMG_0043         (foto de Made by choices)

Sobremesas 

Pequeno almoço / lanches

IMG_0045.JPG(foto de Just Natural Please)


2 Comments

Como fazer uma taça de batido (cru, vegan) ~ How to make a smoothie bowl (raw, vegan)

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Ultimamente tenho partilhado muito no Instagram as fotos das minhas taças de batido e lembrei-me de explicar aqui com mais detalhe para que possam ver como é fácil preparar uma refeição como esta.

Faço pelo menos 1 vez por dia e desenvolvi um método bastante simples porque não gosto de gastar muito tempo a preparar o que vou comer.

Base:

A base para as minhas taças de batido são bananas congeladas porque este é o meu combustível preferido. Não vale a pena ter medo das bananas porque não criam prisão de ventre nem engordam, ao contrário do que acreditei quase a vida toda (mais info sobre isso aqui). As bananas dão-me imensa vitalidade de um modo sustentado e calmo. Eu prefiro congeladas porque fica mais cremoso e com um sabor bem mais suave. Tenho sempre várias caixas no congelador com bananas – podem ver aqui como faço, passa o passo.

E depois adiciono apenas mais uma outra fruta diferente, consoante o que houver em casa. Também dá para juntar um vegetal (espinafres, couve, beterraba, etc) mas eu tenho andado a preferir guardar os vegetais para outras refeições.

Costumo juntar só um bocadinho de água ou água de côco. Cerca de 1/2 cup/chávena ou menos, se possível. Mas se preferirem, também podem usar leites vegetais, desde que não tenham sabores ou açúcar adicionado.

Nutrição extra:

Eu gosto de começar o dia com superalimentos porque me ajudam a lidar com o stress, são um bom suporte para o sistema hormonal e sistema imunitário e até dão mais energia. Costumo usar só 1 ou 2 de cada vez.

Os meus preferidos neste momento são a ashwaganda em pó, cogumelos reishi, erva de cevada e spirulina. (para saber mais sobre cada um, basta clickar no nome). Também gosto de juntar melaço de cana mas ponho só em cima do batido porque senão a liquidificadora fica toda colada.

Gordura boa:

Quando sinto que preciso de um pouco mais de gordura nesta refeição, junto sementes de cânhamo ou frutos secos (oleaginosas) previamente demolhados. Também dão mais textura ao batido e gosto de trincar os pedacinhos mais duros. Também podem usar côco ralado, por exemplo. Podem juntar estes ingredientes quando trituram a base ou podem polvilhar por cima do batido.

Decoração:

Podem utilizar pedaços de fruta fresca, amoras brancas secas, granola ou as sementes e  oleaginosas que já mencionei.

Preparação:

Basta pôr os ingredientes para a base (e superalimento que quiserem)  numa liquidificadora  ou robot de cozinha e triturar tudo até ficar bem cremoso, sem pedaços. Depois é só deitar numa taça grande e polvilhar com os ingredientes que quiserem usar para a decoração. Comer com colher e desfrutar muito!

Deixo aqui alguns exemplos de taças de batido bem simples para que se possam inspirar. Adaptem as quantidades às vossas necessidades físicas e nutricionais.

Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de amoras, 1 colher de chá de reishi em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: sementes de cânhamo, bagas goji.IMG_9157Base: 3 bananas congeladas, 2 maçãs, 1 colher de chá de spirulina, 1/2 chávena de água. Em cima: mais maçã fatiada, amêndoas (demolhadas) e sementes de cânhamo.IMG_8880Base: 3 bananas congeladas, 1 manga pequena, 1 colher de chá de ashwaganda, 1 colher de chá de erva de cevada. Em cima: amêndoas (demolhadas), sementes de cânhamo e melaço de cana. IMG_9232Base: 4 bananas congeladas, 2 chávenas de morangos, 1 colher de maca em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: amêndoas (demolhadas), goji e sementes de cãnhamo.IMG_8821Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de mirtilos, 1 colher de chá de ashwaganda em pó, 1 colher de chá de reishi, 1/2 chávena de água de côco. Em cima: mais mirtilos, sementes de cânhamo e bagas goji.FullSizeRender-3

ENGLISH:

Lately I’ve been sharing a lot of photos of my smoothie bowls on Instagram, I thought I could explain with a bit more detail how I prepare them so you can see how easy it is to have a meal like this.

I have a smoothie bowl almost once a day and I have a very simple method because I don’t like to spend a lot of time preparing my meals.

Base:

The base for my smoothie bowls is frozen bananas because it’s my favourite fuel. There’s no need to be afraid of bananas because they don’t make you fat or cause constipation, like I believed for so many years (more info on that here). Bananas give me a lot of vitality in a very calm and sustained way.  I choose to freeze them because the smoothies turn out a lot creamier and the flavour is a lot softer like this. I always have several boxes of frozen bananas in my freezer. You can see how I do it right here.

And then I just add one more type of fruit, depending on what is available at my house that day. You can also add some vegetables (spinach, kale, beet, etc) but lately I prefer to save my veggies for other meals.

I use water or coconut water and just a little bit – about 1/2 cup or less. You may also use plant based milk, but make sure it doesn’t have any added sugar or flavours.

Extra nutrition:

I like to start my day with super foods because it helps me to deal with stress, boosts my hormonal and immune systems and can even give me more energy. I usually add 1 or 2 at once. My current favourites are ashwaganda, reishi mushrooms, barley grass and spirulina.  (To learn more about each one, just click on its name). I also like to add blackstrap molasses but I wait and only add it on top of the smoothie bowl, otherwise my blender gets really sticky.

Good fat:

When I feel like I could use an extra bit of good fat with my meal, I simply add nuts or seeds (previously soaked). It also gives more texture to the smoothie and I enjoy biting the tiny pieces. You an also use shredded coconut, for example. You may add these ingredientes as toppings or you may blend them with the base.

Toppings:

Just add more fresh fruit, dried mulberries, granola or the nuts and seeds I’ve mentioned before.

Directions:

Put all your ingredients for the base (and superfoods if using any) in a blender or food processor and blend until it reaches a creamy consistency. Pour the smoothie into a large bowl and add your chosen toppings. Eat with a spoon and enjoy!

I’ll just leave you here with a few suggestions to get you inspired. Please adjust the sizes according to your needs.

Base: 3 frozen bananas, 1 cup of berries, 1 teaspoon of reishi powder, 1/2 cup of water. Toppings: goji and hemp seedsIMG_9157Base: 3 frozen bananas, 2 apples, 1 teaspoon of spirulina, 1/2 cup of water. Toppings: sliced apple, soaked almonds and hemp seeds IMG_8880Base: 3 frozen bananas, 1 small mango, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of barley grass. Toppings: soaked almonds, blackstrap molasses, hemp seedsIMG_9232Base: 4 frozen bananas, 2 cups of stawberries, 1 teaspoon of maca powder, 1/2 cup of water. toppings: soaked almonds, goji berries, hemp seedsIMG_8821Base: 3 frozen bananas, 1 cup of blueberries, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of reishi, 1/2 cup of coconut water. Toppings: more blueberries, goji berries and hemp seedsFullSizeRender-3


1 Comment

workshop delícias cruas ~ cacau!

cartaz cacau

A pedido de muitas famílias vou fazer um workshop só de doces com cacau!

Este workshop é para os amantes do chocolate que se preocupam verdadeiramente com a saúde. Se achas que para ser saudável tens que abdicar do teu sabor preferido, enganas-te redondamente!

Estas delícias de cacau têm ingredientes 100% de ORIGEM VEGETAL e CRUS (Raw).

Sim, crus! Não vamos cozinhar, vamos cruzinhar!

Vais aprender várias receitas deliciosas sem açúcar processado, sem glúten, sem cereais, sem lactose, sem óleo e sem ovos… mas com MUITO, MUITO SABOR! E com todos os benefícios do cacau que é um superalimento óptimo para a saúde.

Temos sobremesas para celebrar datas especiais e guloseimas práticas para o dia-a-dia. Como sempre, escolhi receitas acessíveis, de fácil execução, que requerem pouco tempo de preparação e que são de comer e chorar por mais:

~ tarte cremosa de cacau e morangos

~ trufas de cacau e “licor” de laranja

~ bolinhos de cacau e gengibre com cobertura de limão

~ mousse de cacau e côco

Todas as receitas terão várias versões: sem frutos secos/com frutos secos. Este workshop inclui demonstração, degustação e as receitas em formato de papel.

QUANDO: Sábado 20 de Maio 2017, das 15h às 17h30

ONDE: CENIF, Rua Emídio da Conceição Fernandes 10, Loja esq. 2700-553 Amadora

INSCRIÇÕES: fechadas

 (O espaço é limitado, por isso não deixes para o último dia! Mínimo de participantes – 5. O valor da inscrição não é reembolsável em caso de falta de comparência do participante)

Espero contar contigo para partilhar uma tarde de comer e chorar por mais! Atreve-te a dar este passo para entrares num mundo em que a saúde não é sinónimo de privação, mas sim de abundância e prazer.

Este evento tem o apoio da Iswari Superfoods Portugal e da Agatat Design.

(Podem consultar a informação toda no facebook.)

 

 


Leave a comment

Registo do workshop delícias saudáveis ~ Photos from my workshop

Olá a todos!

No passado domingo aconteceu a segunda edição do workshop delícias saudáveis e foi uma tarde muito deliciosa! Foi uma partilha muito interessante com participantes de várias idades, vários backgrounds e vários interesses, mas todos com a mesma motivação: aliar a saúde ao sabor!

Fiquei muito feliz com a oportunidade de conhecer toda a gente ao vivo e a cores. Espero que tenha sido tão inspirador para todos os participantes quanto foi para mim!

Hoje deixo-vos com o registo fotográfico deste workshop que é da autoria da Ágata Trancoso. (Muito obrigada pelas fotos tão giras ~ ainda não acredito que foram tiradas com o telemóvel!)

Antes de terminar gostava de vos deixar com um desafio: digam-me que tipo de workshop gostariam que eu fizesse em breve… o que gostariam de aprender, temas, receitas, etc. Dêem largas à imaginação e contem-me tudo!