The extra in the ordinary

By Catarina Guimarães


Leave a comment

Pudim de chia e romã ~ Pomegranate chia pudding

(Please scroll down for english version)IMG_4239

Se há coisa que eu não me canso de transmitir, é isto:

Ser vegan é fácil.

A sério, é fácil. Fico tão triste quando as pessoas usam a desculpa do “é tão complicado” sem sequer tentar. Não é mesmo nada complicado, acredita. A única parte difícil de ser vegan é a mudança de paradigma inicial. Deixar de ver os vegetais como aquele montinho minúsculo de folhinhas que acompanham o prato principal e deixar de ter medo de fruta. Essa parte inicial exige bastante ginástica mental e emocional – é preciso fazer o trabalho de casa, pesquisar receitas, ter exemplos, sair da caixinha de conforto, experimentar o mundo gigante de opções que há e que nem sabíamos que existia. A sério, eu antes de ser vegana não conhecia nem 1/10 dos alimentos que como hoje em dia. Essa mudança de mentalidade e perspectiva pode exigir alguma dedicação e esforço, sim. Mas é uma questão de hábito, como tudo na vida.
Apartir daí, não podia ser mais simples. Eu faço milhares de variações da mesma receita e faço refeições super simples mas muitíssimo mais ricas do que as que comia antigamente. Sopas, guisados, empadões, saladas, batidos, papas de aveia, bolinhas energéticas, hambúrgueres de vegetais, massa, crepes, etc – cru ou cozinhado, uso a mesma receita como base mas mudo sempre qualquer coisa. Não há arroz? Faço com batata. Não há banana? Faço com manga. Nunca saio a correr à última da hora para ir comprar aquele ingrediente xpto. Se não há, usa-se outra coisa. Improvisar e simplificar, é esse o meu mantra. Só umas 2 ou 3 ou vezes por mês é que me apetece fazer algo completamente diferente e aí sim, ponho-me com pesquisas e experimentações mais elaboradas. Mas no dia a dia? Nop. E nunca sinto que a minha alimentação é monótona. Para além disso, ser vegan fica mais barato. A sério. Se não desatares a comprar produtos processados vais ver que consegues poupar bastante dinheirinho com uma alimentação 100% vegetal.

A sério. É fácil. Eu nunca sequer consegui fazer uma omelete de jeito e faço montes de pratos veganos com uma perna às costas! (e com uma mão no telemóvel… hehehe)
A sério. É facil.

Tal como este pudim de chia. Há quem chame pudim de chia ou mousse de chia. Independentemente do nome, é sempre delicioso. É fácil de preparar e é super portátil para levar para o trabalho/escola/praia/whatever…
Dá para fazer com qualquer sumo de fruta e basta adaptar a quantidade de adoçante consoante a doçura natural da fruta que escolherem.
E é muitíssimo saciante e nutritivo – para ficar a saber mais sobre os benefícios da chia, espreita este post.

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
3 colheres de sopa com sementes de chia (usei da Iswari)
1/2 cup/chávena de sumo de romã (usei o da Sonatural)
1 colher de chá de xarope de ácer (maple syrup)
1 colher de chá com raspas de casca de limão

Instruções:
~ deitar todos os ingredientes num frasco com tampa
~ mexer muito bem para que todas as sementes fiquem submersas no sumo
~ tapar o frasco e deixar no frigorifico durante cerca de 3 horas para que as sementes inchem
~ comer à colher, directamente do frasquinho

Podes juntar fruta fresca em cima do pudim, se te apetecer.

(as marcas indicadas ofereceram os produtos que usei)

IMG_4244

English:

If there’s something I never get tired of sharing, is this:

Being vegan is easy.

Really. It’s easy. I get so sad when people use the “it’s so difficult” excuse without even trying. It really isn’t complicated, believe me. The only hard part about being vegan is the initial change of paradigm. When we have to stop being afraid of fruit and stop thinking about veggies as the little bit of green stuff that comes with the main dish. That initial part actually demands some mental and emotional effort – we need to do our homework, research a lot of recipes, find people to follow as examples, get out of our little comfortable box and try the gigantic amount of plant based food we didn’t even know existed. Seriously, I didn’t even know 1/10 of the food I eat regularly now. That shift of perspective and mentality might require some dedication and effort, yes. But it’s a matter of habit, like most things in life.

From then on, it couldn’t be easier. I make millions of variations of the same recipe and I put together super simple but very rich meals. A lot richer than what I used to eat before I was vegan. Soups, stews, casseroles, salads, smoothies, oatmeal, energy balls, veggie burguers, pasta, rolls, etc – Raw or cooked, I use the same recipe as base and I change something every time. No rice? I’ll use potatoes. No bananas? I’ll use mango. I never go shopping in a rush at the last minute looking for that extra special ingredient. If I don’t have it, I don’t use it. Improvise and simplify, that’s my mantra. I only feel like doing something completely different 2 or 3 times every month. and that’s when I spend some time doing research and experimenting stuff. But for my daily life? Nop. And I never feel like my diet is boring. Besides, being vegan is actually cheaper. Really. Unless you have the habit of bying tons of processed food, you’ll end up saving lots of money on a plant based diet.

Really. It’s easy. I’ve never even been able to make a decent omelette and I can make lots of vegan meals in a heartbeat. (and sometimes with only one hand because… well, phone… hehehehe)
Really. It’s easy.

Just like this chia pudding. It’s super simple to make and very easy to take with you when going to work/school/beach/whatever…
You may do it with any fruit juice you want. Simply adjust the amount of sweetener according to the natural sweetness of your chosen fruit.
It’s also super satiating and nutritious. For more info on the benefits of chia seeds, please check out this post.

Ingredients:
(organic, if possible)
3 tablespoons of chia seeds (I used Iswari)
1/2 cup of pomegranate juice (I used SoNatural)
1 teaspoon of maple syrup
1 teaspoon of lemon zest

Directions:
~ put all ingredientes inside a jar with a lid
~ stir really well so that all seeds are submerged in juice
~ put the lid on and leave it in the fridge for about 3 hours so that the seeds become larger
~ eat with a spoon, straight from the jar

feel free to add more fresh fruit o top of your pudding

(the brands I named offered the products I used in this recipe)

 

Advertisements


Leave a comment

Nasceram as barras energéticas da Iswari! ~ Iswari’s energy bars are here!

E quando nos preparamos para fechar mais um ciclo do calendário, assisto também ao fecho de um ciclo criativo e profissional, com o lançamento das novas barrinhas “Despertar de Buda” da Iswari. Foi um projecto no qual tive a oportunidade de participar, colaborando para o desenvolvimento e criação das receitas para as barrinhas. Começou há praticamente um ano e agora, por fim, materializa-se à frente dos nossos olhos! Tenho que agradecer ao Miguel Boucinha e ao Gonçalo Sardinha pela confiança e paciência com que me brindaram e apoiaram.

É um sentimento muito especial ver nascer um produto como este, que tal como todos os produtos da Iswari, é delicioso e muito saudável. Estas barrinhas são a versão snack pronto a comer dos “Despertar de Buda” e estão disponíveis em 3 sabores: cacau, maca e baunilha, açaí e morango. São veganas, cruas, sem glúten e biológicas!
Espero sinceramente que gostem e que passe a fazer parte das vossas vidas!
Está disponível em Portugal nas lojas Celeiro e em breve estará disponível em muitos outros países!
Experimentem!

IMG_2484

ENGLISH:

As we reach the end of another calendar cycle, I also see a creative and professional cycle come to full term. The Iswari energy bars are here! I had the chance to be a part of this project, collaborating for the creation and development of the recipes and it was an amazing experience. It started practically one year ago and now it has materialised in front of my own eyes! I’m very grateful To Miguel Boucinha and Gonçalo Sardinha for their gift of patience and trust.

It’s a very special thing to witness the birth of a product like this. These bars are from the same line as the “Buddha’s awakening” products and are available in 3 different versions: cacao, vanilla and maca, strawberry and acai. It’s vegan, gluten-free, raw and organic. It’s already available in Portugal at the Celeiro stores and it will soon be available in many other countries. I hope you get the chance to try this wonderful snack!

IMG_2423


Leave a comment

Sugestão de prendas de Natal ~ Christmas presents suggestions

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Querido Pai Natal….

Caso estejas com pouca imaginação, aqui ficam as minhas sugestões para as prendas:

~ Velas ecológicas e naturais, com perfume de flores e plantas, criadas em peças de cerâmica

~ Sabonetes lindos, óptimos para a pele e super cheirosos, feitos com azeite, ervinhas e flores.

~ Os desodorizantes naturais mais eficazes do mundo (nem queria acreditar mas funcionam tão bem, até nos dias difíceis!) E como não têm embalagem, não produzem qualquer lixo!

~ Dentífricos (pasta de dentes sólida) naturais e sem embalagem de plástico, com óleos essenciais, carvão e outros ingredientes muitíssimo saudáveis

(todos estes produtos são feitos à mão pela Liliana da Saponina. Podem ver o catálogo de Natal aqui)

~ Chocolates Casa do Bosque. São crus, vegan e biológicos, sem ingredientes processados, feitos com tâmaras e alfarroba. Há 7 sabores e são todos uma perdição.

~ Aulas de surf! Não há nada melhor do que o poder curativo do oceano e a adrenalina de experimentar algo novo. Os professores da Angels Surf School são uns queridos e preocupam-se muito com a segurança dos alunos de todas as idades. E lembra-te, nunca é tarde demais para começar!

~ Cristais! Cada cristal tem uma vibração específica e ajudam-nos a trabalhar a nossa energia, e todas as desarmonias energéticas. Quando se compra um cristal para uma pessoa, convém pensar nela ou ter a imagem dela na nossa mente enquanto escolhemos.  O cristal que “puxar mais” por nós é o ideal. Procurem sempre lojas de confiança e peçam recomendações a outros clientes que conheçam. Caso não haja nenhum espaço na vossa zona, aconselho vivamente a loja online Roots shop

~ Candeeiro de sal dos himalaias  incenso japonês (o único que não me irrita o sistema respiratório) e salva seca para queimar. Tudo óptimas maneiras de limpar a energia mais densa dos espaços e promover o nosso enraizamento.

~ Apadrinhar um animal a cargo de uma associação e contribuir para a sua recuperação e bem estar ~ Cães e gatos ou burrinhos

~ Batôns feitos única e exclusivamente com produtos naturais!

~ Bálsamos para a pele com plantas medicinais: para dores, nódoas negras ou cicatrizante

~ Superalimentos. E porque não? Se tens um amigo que consome estes produtos habitualmente, de certo que ficará muito feliz com um pacotinho da Iswari debaixo da árvore de Natal. Cacau, spirulina, chia, cânhamo, etc, etc… o difícil é escolher!

~ Um vale oferta para uma sessão de Reiki… Podes ficar a conhecer esta terapia complementar aqui. Para encomendar o vale oferta (para zona de Lisboa/Sintra) basta contactar-me por aqui.

~ Especialmente para as crianças, o livro mais educativo e amoroso do ano “Lexy, o menino vegano”, um Huggy para abraçar com muita força ou até mesmo um Pai Natal bem-disposto.

~ Óleos essenciais ~ o de alfazema é provavelmente o que mais uso, tão prático e útil! Mas há muitos mais, para todo o tipo de necessidades. Quanto mais leio sobre os óleos mais me apaixono por eles. Compro sempre biológico e puro, sem outros ingredientes. Se não encontrarem perto de casa, espreitem no Círculo Bio.

~ Bloquinhos para escrever listas de gratidão, downloads de inspiração divina, projectos para o futuro ou rabiscos para despertar a criança interior. Não há bloquinhos com mais humor e sarcasmo que os da Alfamarama. Vão dar umas belas gargalhadas só de ver os títulos.

~ Bolinhas energéticas cruas, vegan, saudáveis e deliciosas. Faz tu mesma, usando as receitas do blog ou podes encomendar as bolinhas de vários sabores que eu faço. Podes contactar-me por aqui. 

~ O livro que todos os veganos vão querer “Onde está a proteína?” e o livro que relata as aventuras e desventuras da maternidade com muito humor “Mamã cartoon”

~ Uma ilustração personalizada pela mão da fabulosa Ana Silvia Agostinho

~ Uma consulta no Cabeleireiro Holístico. O Cabeleireiro Holístico traz uma nova forma de ver e cuidar do cabelo, reconhecendo-o como único e reflexo da saúde física e emocional. Cada consulta é uma viagem que utiliza o cabelo como fio condutor, passando pela infância, menarca, ciclos e momentos marcantes da história de vida.

~ um cabaz de sumos naturais para desenjoar de tanto doce natalício ou para começar o ano em modo detox.

BOAS FESTAS, SEJAM FELIZES!

IMG_2403

ENGLISH:

Dear Santa Claus, just in case you are running low on ideas, here are my suggestions for Christmas presents:

~ Eco-friendly candles made with essential oils, herbs and flowers.

~ The best natural deodorants I have EVER tried! They really really work! Even in the bad stressful hot days. I couldn’t believe how well they work and it has been a blessing in my life. And it’s a zero waste product.

~ Dry toothpaste made with natural ingredients like charcoal and essential oils. No plastic packaging and that is a big plus!

~ Cute and healthy natural soaps made with olive oil, herbs, flowers ands essential oils.

(All of these products are handmade by Liliana from Saponina and you can see her Christmas catalogue right here)

~ Casa do Bosque chocolates. Raw, vegan and organic! Free from any processed junk, theses chocolates are made with carob and dates. There are 7 different flavours and they’re all to die for.

~ Surf lessons! There’s nothing more exhilarating than having a new experience. And spending time in nature, specially the ocean, is one of the most healing things we can do. The teachers at Angels Surf school in Carcavelos are always super friendly an never jeopardise the students safety. And remember, you are never to old to start surfing!

~ Crystals! Each crystal has a different vibration and it ca be used to work with our energy and heal any disharmonies. When buying crystals for somebody else, simply think about the person or picture the person in your mind while you are choosing. The crystal that draws your closer is the right choice. Go with your intuition! Always shop at reliable places and ask other customers for recommendations. If you can’t find a store near you, I recommend the online store Roots shop.

~ Himalayan salt lamp, japanese incense, sage for smudging  ~ great natural tools to cleanse and protect the space you live in and it also helps with grounding.

~ Sponsoring an animal rescued by an organisation. You may choose to help Cats and dogs or donkeys.

~  Lipsticks made with only 100% natural and vegan ingredients.

~ Natural skin balms for all types of needs – pain, scars, bruises…

~ Superfoods! And why not? If you know someone who uses super foods often I’m sure they’ll be delighted to find a package from Iswari under the tree. Cacao, chia, hemp, spirulina, etc, etc… the difficult part is to pick only one.

~ A gift certificate for Reiki sessions. You can learn about this integrative therapy right here. I offer Reiki sessions in Lisbon/Sintra and if you want to get a gift certificate, just contact me

~ Essential oils. Lavender is probably the most useful and practical one but there are many more oils for every need. The more I read about it the more I love them! Always buy organic and 100% pure without any other ingredientes. If you can’t find a place near you try checking out the online shop Círculo Bio.

~ For the little ones, a cute cuddly Huggy or a very joyful Santa.

~ Energy balls! Raw, vegan, healthy and delicious. You can DIY using my recipes on the blog. or you may order several different flavours from me (Lisbon only).

~ Your very own custom illustration by the hand of the fabulous Ana Silvia Agostinho

~ A gift certificate for an appointment at the Holistic Hairdresser (Lisbon). You’ll learn how to see your hair as unique and as a reflection of your emotional and physical health,  identifying the several stages and changes throughout your life.

~ A box of natural juices to start the new year in full detox mode or simply take a break from all the Christmas sweets

~ Notebooks. Write gratitude lists, journal about your emotions, plan your projects or simply doodle and awaken your inner child. These notebooks are the funniest ones and I just love the titles!

HAPPY HOLIDAYS, BE MERRY!


Leave a comment

Papas de aveia doces com cenoura ~ Carrot cake oatmeal porridge

aveia1(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

“A prática do perdão é a nossa mais importante contribuição para a cura do mundo” ~ Marianne Williamson

Ultimamente este tema tem surgido bastante em conversas e torna-se claro como a palavra perdão continua a ser alvo de interpretações muito negativas. Perdoar não significa fazer de conta que nada se passou, perdoar não significa ignorar ou desculpar o sofrimento que alguém nos provocou, perdoar não significa passarmos a ser amigos de quem nos prejudicou. Perdoar não é uma prenda para o outro, mas sim para nós próprios. É deixarmos de carregar com o peso de algo que já aconteceu e que nunca vai mudar. É deixar secar a ferida em vez de a picar constantemente.

Há uma vida antes e depois do perdão. Nada nunca mais é o mesmo.
Libertar os ombros desse peso é um trabalho interno muito pessoal e que ninguém pode fazer por nós, mas vale a pena, vale mais a pena do que provavelmente qualquer outra coisa e quem ganha somos nós e todos e tudo à nossa volta. 

Convido-vos a ler este post onde falo sobre este assunto com mais pormenor e onde partilho um exercício que pratico desde há muitos anos e que me tem ajudado imenso a desenvolver a capacidade de perdoar.

Por vezes a pessoa que nos custa mais a perdoar é a nós mesmos. Fazemos muito para nos boicotar e prejudicar e por vezes é difícil aceitar e perdoar isso. Cada refeição é uma boa oportunidade para alimentarmos também o nosso amor próprio, escolhendo alimentos que cuidem e nutram o nosso corpo, a nossa casinha.

Estas papas de aveia são uma óptima opção para o pequeno almoço nos meses mais frios. Tem imensa fibra para ajudar o sistema digestivo a funcionar bem e a limpar o organismo de tudo o que já não precisa. É saciante, nutritivo e docinho!

Aqui fica…

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
1 cup/chávena de leite vegetal (sem açúcar)
1/2 cup/chávena de flocos de aveia sem glúten
1/3 cup/chávena de cenoura ralada bem fininha
1/3 de colher de sopa de xarope de ácer (ou açucar de côco)
1 bocadinho de gengibre fresco (do tamanho da unha do mindinho)
Pitada de canela
Pitada de baunilha (opcional)
Pitada de sumo de limão (opcional)

Para toppings:
Arandos secos
Amêndoas
sementes de chia
(Outras opções boas são côco ralado, rodelas de banana, manteiga de amêndoas, pepitas de cacau)

Instruções:
~ pôr tudo dentro de uma panelinha (excepto os toppings) e misturar muito bem
~ deixar em lume brando e ir misturando com uma colher para não colar no fundo
~ deixar ao lume até ficar com a consistência desejada (eu gosto das papas ligeiramente líquidas)
~ servir numa taça e juntar os toppings
~ comer logo de seguida

aveia4ENGLISH:

“The practice of forgiveness is our most important contribution to the healing of the world.” ~ Marianne Williamson

This subject has been coming up a lot lately in my life and it has become clear to me that the word forgiveness still has a lot of negative interpretations. To forgive doesn’t mean to pretend that nothing happened, to forgive doesn’t mean you ignore or deny the suffering someone inflicted on you, to forgive doesn’t mean you have to become friends with someone that harmed you. Forgiveness is not a gift to the other person, it is a gift to yourself. It means letting go of the weight of something that is long gone and will never change. It´s letting the wounds heal instead of poking them all the time.

There’s a life before forgiveness and there’s a life after it. Nothing is never the same. Releasing ourselves from all the weight we have been carrying on our shoulders is a personal inside work that no one else can do for us. But it’s worth it, it’s worth it more than probably any other thing and you’ll benefit from it as much as everyone and everything around you.

I invite to read this post where I write about this subject and share an exercise I’ve been practicing for quite some years that has helped me a lot with forgiveness.

Sometimes the hardest thing is to forgive ourselves. We do so much to boycott and harm ourselves and it can be difficult to accept and forgive that. Every meal is a good opportunity to feed our self love, choosing foods that nurture our body, our little home.

This oatmeal porridge is a great choice for breakfast for the colder days. It has a lot of fiber and helps the digestive system work harmoniously, releasing everything that no longer serves the body. It’s filling, nutritious and sweet!

So here’s the recipe…

Ingredients:
(Organic, if possible)
1 cup of unsweetened plant based milk
1/2 cup of gluten free oats
1/3 cup of finely shredded carrots
1/3 tablespoon of maple syrup (or coconut sugar)
a little bit of fresh ginger (about the size of a pinky fingernail)
a dash of cinnamon
a dash of vanilla (optional)
a dash of lemon juice (optional)

For the toppings:
dried cranberries
almonds
chia seeds
(other good options are: desiccated coconut, sliced banana, almond butter, cacao nibs)

Directions:
~ put everything (except the toppings) in a small pan in low heat
~ use a spoon to mix it well and make sure it doesn’t stick to the bottom
~ let it cook until it reaches the desired textured (I like it a bit moist and liquid)
~ pour it in a bowl and add the toppings
~ eat it while it’s still warm

aveia 2


Leave a comment

Bolo de mirtilos, limão e gengibre ~ Blueberry, ginger and lemon cake

bolo sumo3

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

“O teu papel não é tornar os outros felizes; o teu papel é manteres-te em equilíbrio. Quando prestas atenção a como te sentes e praticas pensamentos empoderadores alinhados com quem-tu-realmente-és, irás oferecer um exemplo de crescimento que terá um valor tremendo para os que têm o beneficio de te observar. Não é a ser pobre que vais ajudar os pobres a prosperarem e não é a ser doente que vais ajudar os doentes a ficarem melhor. Só poderás elevar os outros estando numa posição de força, clareza e alinhamento.” ~ Abraham

Hoje quis trazer-vos estas palavras porque sei que muitas das leitoras que me brindam com visitas são pessoas sensíveis, empáticas e generosas. E isso é maravilhoso! Não é uma fragilidade mas sim um tremendo poder. Mas a dada altura da nossa vida temos que perceber que não podemos carregar com os problemas dos outros e que não podemos arcar com os sentimentos negativos que nascem nos corações dos que nos rodeiam. Por muito que o façamos, não aliviamos o peso deles e só aumentamos o nosso. os que chegar ao momento em que aprendemos que antes de sermos boas amigas para os outros, temos que ser uma boa amiga para nós próprias. E isso muitas vezes passa por aprender a dizer não e a impor limites. E haverá sempre quem tente provocar a culpa em nós por já não fazermos dos outros a nossa prioridade. Mas assim é que deve ser. Os verdadeiros amigos irão compreender a nossa mudança e até a irão ver como algo positivo. Esses são os amigos que vale a pena manter!

Amizades verdadeiras são tão importantes para a qualidade de vida e para a saúde como uma boa alimentação.
Hoje deixo aqui uma receita para uma guloseima para partilhar com os amigos enquanto bebem chá. É um bolo vegano e sem glúten de mirtilos, limão e gengibre. E se tiverem ainda alguma culpa por comer doces, aproveitem para libertar tudo isso com cada dentada. Este bolinho é saudável e fácil de fazer.

bolo sumo

Aqui fica a receita:

Ingredientes:
(se possível, biológicos)
1 1/2 cup/chávena de farinha de arroz
1 cup/chávena de mirtilos
3/4 cup/chávena de leite de arroz (sem açúcar)
1/2 cup/chávena de xarope de ácer (maple syrup)
1/3 cup/chávena de óleo de côco
1/2 cup/chávena de sumo de gengibre (usei o sumo de gengibre e maçã da SoNatural) e mais 2 ou 3 colheres de sopa para regar no fim
1 ovo de chia (1 colher de sopa com sementes de chia misturado com 3 colheres de sopa com água)
1 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de baunilha em pó
raspa de 1 limão

Instruções:
~ preparar o ovo de chia e deixar de molho cerca de 10 minutos para as sementes incharem
~ juntar os ingredientes secos numa taça grande e misturar muito bem
~ noutra taça misturar todos os ingredientes líquidos
~ juntar os líquidos na taça dos secos e misturar bem. No fim adicionar os mirtilos sem mexer muito.
~ pôr a massa numa forma com papel vegetal e deixar no forno a 280ºC (entre 70 a 80 minutos)
~ deixar arrefecer na forma. Fazer uns buraquinhos no bolo com um palito e regar com 2 ou 3 colheres de sopa de sumo de gengibre. Cortar em fatias e servir.

(o sumo que usei foi oferecido pela Sonatural)

bolo sumo4

(ENGLISH)

“It is not your role to make others happy; it is your role to keep yourself in balance. When you pay attention to how you feel and practice self-empowering thoughts that align with who-you-really-are, you will offer an example of thriving that will be of tremendous value to those who have the benefit of observing you. You cannot get poor enough to help poor people thrive or sick enough to help sick people get well. You only ever uplift from your position of strength and clarity and alignment.” ~ Abraham

I bring you these words today because I know a lot of the readers that grace me with their visits are very sensitive, empathic and generous people. And that is a wonderful thing! It’s not a flaw but a tremendous power. But there is a time in life when we must understand that we cannot carry other people’s problems or negative feelings for them. As much as we do it, their burden doesn’t become lighter and we are only increasing our own. We must come to a moment when we learn that we can only be a good friend to others if we befriend ourselves first. And that usually means learning how to say no. And there will always be someone unhappy about our choice of putting ourselves first, because they will no longer be our priority. But that’s the way it should be. And true friends will understand that change and even see it as a good thing. Those are the friends worth keeping.

True and honest friendships are just as important for quality of life and health as a good diet. Today I’m posting a recipe for a sweet treat that you may share with your friends over tea. It’s a vegan and gluten free blueberry, lemon and ginger cake and you can enjoy it releasing any guilt you may still have about eating cake. It’s healthy and easy to make.

bolo sumo2

So here’s the recipe:

Ingredients:
(organic if possible)
1 1/2 cup of rice flour
1 cup of blueberries
3/4 cup of rice milk (sugar free)
1/2 cup of maple syrup
1/3 cup of coconut oil
1/2 cup of ginger juice (I used Sonatural’s ginger and apple juice) and 2 or 3 tablespoons to add at the end
1 chia egg (1 tablespoon of chia seeds mixed in 3 tablespoons of water)
1 teaspoon of baking powder
1/2 teaspoon of vanilla powder
zest from 1 lemon

Directions:
~ make the chia egg and leave it soaking for about 10 minutes
~ place all dry ingredients in a big bowl and stir
~ place all wet ingredients in another bowl and stir
~ add wet ingredients to dry ingredients and stir really well. Add the blueberries at the end and try not to stir that much.
~ pour the batter in a cake or bread pan covered with cooking paper
~ put it in the oven (about 280ºC) for about 70 or 80 minutes
~ take it out of the oven and let it cool down still inside the pan. When it’s cold, make a few tiny holes with a toothpick and pour some juice on top of the cake (about 2 or 3 tablespoons). Slice and serve.

(the juice I used in this recipe was offered by SoNatural)


4 Comments

Parfait de mousse de chia com iogurte, pêra e cacau ~ Chia pudding and yogurt parfait with cacao and pear

FullSizeRender-7.jpghfjhfj

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Passei hoje por aqui para partilhar umas palavras que muito me têm inspirado nestes últimos tempos. Quando sinto a cabaça a andar à roda, pego neste texto e consigo voltar a sentir que tudo está como deve estar e que não me desviei do meu caminho:

“Caro Humano: Percebeste tudo mal.
Não vieste cá para dominar o amor incondicional.
Isso é de onde vens e para onde irás regressar.
Vieste cá para aprender amor pessoal.
Amor universal. Amor desarrumado. Amor suado.
Amor louco. Amor despedaçado. Amor integral.
Macerado com divindade. Vivido através do encanto de tropeçar.
Demonstrado pela beleza de… bagunçar tudo.
Frequentemente.
Não vieste cá para seres perfeito. Já o és.
Vieste cá para ser maravilhosamente humano. Defeituoso e fabuloso.
E então ascender outra vez até à memória.
Mas amor incondicional? Pára de contar essa história.
Amor, na verdade, não precisa de mais NENHUM adjectivo.
Não precisa de modificadores.
Não precisa da condição da perfeição.
Só te pede que apareças. E que faças o teu melhor.
Que te mantenhas presente e sintas totalmente.
Que brilhes e voes e rias e chores
e magoes e cures e caias e te voltes a levantar
e brinques e trabalhes e vivas e morras sendo TU.
É suficiente. É o bastante.”
Courtenay A Walsh

E como não podia deixar de ser, partilho também uma receitinha bem simples de um parfait delicioso que fiz para a minha mãe durante o fim de semana:

Ingredientes:
1 cup/chávena de sumo de morango, pêra e maçã (usei um da SoNatural)
1 iogurte vegetal sem açúcar (usei um de côco)
3 colheres de sopa com sementes de chia (usei Iswari)
1 pêra
1 mão cheia de pepitas de cacau (usei Iswari)

Instruções:
~ juntar o sumo e a chia num frasco e misturar muito bem. Deixar no frigorífico durante cerca de 2 ou 3 horas para ficar com textura de mousse
~ quando a chia já estiver bem inchada, deitar parte desta mousse num frasco. Ir alternando várias camadas de mousse e de iogurte
~ no fim juntar várias fatias fininhas de pêra e as pepitas de cacau
~ está pronto. Basta usar uma colher para comer. Pode guardar uma parte para o dia seguinte, deixando o frasco tapado no frigorifico.

esta receita dá para 2 porções
(os ingredientes cujas marcas estão identificadas foram oferecidos)

ENGLISH:

I just came by to share a few words that have inspired me a lot lately. When I feel my head spinning, I read this little text and everything seems to fall back in its right place and timing. It makes me feel like I’m on the right path, somehow:

“Dear Human: You’ve got it all wrong.
You didn’t come here to master unconditional love.
That is where you came from and where you’ll return.
You came here to learn personal love.
Universal love. Messy love. Sweaty love.
Crazy love. Broken love. Whole love.
Infused with divinity. Lived through the grace of stumbling.
Demonstrated through the beauty of.. messing up.
Often.
You didn’t come here to be perfect. You already are.
You came here to be gorgeously human. Flawed and fabulous.
And then to rise again into remembering.
But unconditional love? Stop telling that story.
Love, in truth, doesn’t need ANY other adjectives.
It doesn’t require modifiers.
It doesn’t require the condition of perfection.
It only asks that you show up. And do your best.
That you stay present and feel fully.
That you shine and fly and laugh and cry
and hurt and heal and fall and get back up
and play and work and live and die as YOU.
It’s enough. It’s plenty.”
Courtenay A Walsh

And I couldn’t possibly leave you without a little recipe. So here is a parfait I made for my mother during the weekend:

Ingredients:
1 cup of strawberry, pear and apple juice (I used one from SoNatural)
1 plant based yogurt (I used a sugar-free coconut yogurt)
3 tablespoons of chia seeds (from Iswari)
1 pear
1 handful of cacao nibs (from Iswari)

Directions:
~ pour the juice in a jar and add the chia seeds. Shake it and mix it really well. Keep it in the fridge for about 2 or 3 hours until it reaches a pudding like texture
~ when it’s ready, pour part of the pudding into another big jar. Make several layers with the chia pudding and the yogurt
~ finally add thin slices of pear and all the cacao nibs
~ it’s ready to eat with a spoon. You may save some for the next day. Simply close the lid and leave the jar in the fridge

this recipe makes 2 large portions
(I was offered the ingredients whose brands I’ve named)


2 Comments

Como fazer uma taça de batido (cru, vegan) ~ How to make a smoothie bowl (raw, vegan)

(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Ultimamente tenho partilhado muito no Instagram as fotos das minhas taças de batido e lembrei-me de explicar aqui com mais detalhe para que possam ver como é fácil preparar uma refeição como esta.

Faço pelo menos 1 vez por dia e desenvolvi um método bastante simples porque não gosto de gastar muito tempo a preparar o que vou comer.

Base:

A base para as minhas taças de batido são bananas congeladas porque este é o meu combustível preferido. Não vale a pena ter medo das bananas porque não criam prisão de ventre nem engordam, ao contrário do que acreditei quase a vida toda (mais info sobre isso aqui). As bananas dão-me imensa vitalidade de um modo sustentado e calmo. Eu prefiro congeladas porque fica mais cremoso e com um sabor bem mais suave. Tenho sempre várias caixas no congelador com bananas – podem ver aqui como faço, passa o passo.

E depois adiciono apenas mais uma outra fruta diferente, consoante o que houver em casa. Também dá para juntar um vegetal (espinafres, couve, beterraba, etc) mas eu tenho andado a preferir guardar os vegetais para outras refeições.

Costumo juntar só um bocadinho de água ou água de côco. Cerca de 1/2 cup/chávena ou menos, se possível. Mas se preferirem, também podem usar leites vegetais, desde que não tenham sabores ou açúcar adicionado.

Nutrição extra:

Eu gosto de começar o dia com superalimentos porque me ajudam a lidar com o stress, são um bom suporte para o sistema hormonal e sistema imunitário e até dão mais energia. Costumo usar só 1 ou 2 de cada vez.

Os meus preferidos neste momento são a ashwaganda em pó, cogumelos reishi, erva de cevada e spirulina. (para saber mais sobre cada um, basta clickar no nome). Também gosto de juntar melaço de cana mas ponho só em cima do batido porque senão a liquidificadora fica toda colada.

Gordura boa:

Quando sinto que preciso de um pouco mais de gordura nesta refeição, junto sementes de cânhamo ou frutos secos (oleaginosas) previamente demolhados. Também dão mais textura ao batido e gosto de trincar os pedacinhos mais duros. Também podem usar côco ralado, por exemplo. Podem juntar estes ingredientes quando trituram a base ou podem polvilhar por cima do batido.

Decoração:

Podem utilizar pedaços de fruta fresca, amoras brancas secas, granola ou as sementes e  oleaginosas que já mencionei.

Preparação:

Basta pôr os ingredientes para a base (e superalimento que quiserem)  numa liquidificadora  ou robot de cozinha e triturar tudo até ficar bem cremoso, sem pedaços. Depois é só deitar numa taça grande e polvilhar com os ingredientes que quiserem usar para a decoração. Comer com colher e desfrutar muito!

Deixo aqui alguns exemplos de taças de batido bem simples para que se possam inspirar. Adaptem as quantidades às vossas necessidades físicas e nutricionais.

Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de amoras, 1 colher de chá de reishi em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: sementes de cânhamo, bagas goji.IMG_9157Base: 3 bananas congeladas, 2 maçãs, 1 colher de chá de spirulina, 1/2 chávena de água. Em cima: mais maçã fatiada, amêndoas (demolhadas) e sementes de cânhamo.IMG_8880Base: 3 bananas congeladas, 1 manga pequena, 1 colher de chá de ashwaganda, 1 colher de chá de erva de cevada. Em cima: amêndoas (demolhadas), sementes de cânhamo e melaço de cana. IMG_9232Base: 4 bananas congeladas, 2 chávenas de morangos, 1 colher de maca em pó, 1/2 chávena de água. Em cima: amêndoas (demolhadas), goji e sementes de cãnhamo.IMG_8821Base: 3 bananas congeladas, 1 chávena de mirtilos, 1 colher de chá de ashwaganda em pó, 1 colher de chá de reishi, 1/2 chávena de água de côco. Em cima: mais mirtilos, sementes de cânhamo e bagas goji.FullSizeRender-3

ENGLISH:

Lately I’ve been sharing a lot of photos of my smoothie bowls on Instagram, I thought I could explain with a bit more detail how I prepare them so you can see how easy it is to have a meal like this.

I have a smoothie bowl almost once a day and I have a very simple method because I don’t like to spend a lot of time preparing my meals.

Base:

The base for my smoothie bowls is frozen bananas because it’s my favourite fuel. There’s no need to be afraid of bananas because they don’t make you fat or cause constipation, like I believed for so many years (more info on that here). Bananas give me a lot of vitality in a very calm and sustained way.  I choose to freeze them because the smoothies turn out a lot creamier and the flavour is a lot softer like this. I always have several boxes of frozen bananas in my freezer. You can see how I do it right here.

And then I just add one more type of fruit, depending on what is available at my house that day. You can also add some vegetables (spinach, kale, beet, etc) but lately I prefer to save my veggies for other meals.

I use water or coconut water and just a little bit – about 1/2 cup or less. You may also use plant based milk, but make sure it doesn’t have any added sugar or flavours.

Extra nutrition:

I like to start my day with super foods because it helps me to deal with stress, boosts my hormonal and immune systems and can even give me more energy. I usually add 1 or 2 at once. My current favourites are ashwaganda, reishi mushrooms, barley grass and spirulina.  (To learn more about each one, just click on its name). I also like to add blackstrap molasses but I wait and only add it on top of the smoothie bowl, otherwise my blender gets really sticky.

Good fat:

When I feel like I could use an extra bit of good fat with my meal, I simply add nuts or seeds (previously soaked). It also gives more texture to the smoothie and I enjoy biting the tiny pieces. You an also use shredded coconut, for example. You may add these ingredientes as toppings or you may blend them with the base.

Toppings:

Just add more fresh fruit, dried mulberries, granola or the nuts and seeds I’ve mentioned before.

Directions:

Put all your ingredients for the base (and superfoods if using any) in a blender or food processor and blend until it reaches a creamy consistency. Pour the smoothie into a large bowl and add your chosen toppings. Eat with a spoon and enjoy!

I’ll just leave you here with a few suggestions to get you inspired. Please adjust the sizes according to your needs.

Base: 3 frozen bananas, 1 cup of berries, 1 teaspoon of reishi powder, 1/2 cup of water. Toppings: goji and hemp seedsIMG_9157Base: 3 frozen bananas, 2 apples, 1 teaspoon of spirulina, 1/2 cup of water. Toppings: sliced apple, soaked almonds and hemp seeds IMG_8880Base: 3 frozen bananas, 1 small mango, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of barley grass. Toppings: soaked almonds, blackstrap molasses, hemp seedsIMG_9232Base: 4 frozen bananas, 2 cups of stawberries, 1 teaspoon of maca powder, 1/2 cup of water. toppings: soaked almonds, goji berries, hemp seedsIMG_8821Base: 3 frozen bananas, 1 cup of blueberries, 1 teaspoon of ashwaganda, 1 teaspoon of reishi, 1/2 cup of coconut water. Toppings: more blueberries, goji berries and hemp seedsFullSizeRender-3


2 Comments

Batido doce de cogumelos reishi e dióspiro ~ Sweet smoothie with reishi mushrooms and persimmon

reishi-batido(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Comecei a escrever este post no final de uma semana em que choveu todos os dias, manhã, tarde e noite… todos os dias e os dias todos… chuva e mais chuva, escuridão e solidão.
Cheguei a essa sexta feira à noite com as lágrimas nos olhos, lutando contra elas e contra uma sensação antiga de isolamento, tristeza e abandono.
Por fim, deixei de lutar e juntei-me ao rio salgado que tinha mesmo que sair coração fora. Já aprendi que quanto mais luto contra a minhas emoções mais elas me dominam, por isso mais vale assumir, ir até ao fundo e libertar.

E por muito que sentisse tudo o que senti de um modo tão verdadeiro como qualquer outra emoção, não conseguia deixar de me julgar e de me criticar por estar assim, naquele estado, única e exclusivamente porque fiquei sem sol e com frio durante uns diazinhos. Ridículo, completamente ridículo…  Como é que um adulto que vive em consciência fica com a vida de pernas para o ar só porque a temperatura baixou imenso, a hora mudou, o sol não apareceu e a pressão atmosférica mudou repentinamente? Como é que isto é o suficiente para criar uma perfeita tempestade de emoções? Como?! Ridículo… Ninguém pode ser assim tão sensível!

Mas felizmente já perdi a vergonha de contar coisas ridículas como estas e tenho recebido a bela prenda de perceber que não sou a única a sentir-me assim. Que várias são as mulheres que sentiram o mesmo que eu, pelos mesmos motivos e na mesma altura. Talvez não seja assim tão ridículo, afinal… Ou pelo menos assim podemos ser ridículas juntas e rirmo-nos um bocado da nossa sensibilidade. Abençoada tribo! Poucas coisas fazem uma diferença tão grande e tão positiva na vida como uma tribo carinhosa e generosa. Desejo sinceramente que todos encontrem a sua, um dia.

E agora que esta tempestade já passou, tenho-me dedicado a aceitar de uma vez por todas que o meu organismo processa este tempo como processa a tristeza e que esta será sempre a altura do ano mais difícil para mim. Eu fui feita para viver mais pertinho da linha do equador. Vá, no mínimo, trópico de câncer!

A minha estratégia para ultrapassar isto tem sido brincar o mais possível, fazer exercício que me faça sentir enraizada (como dançar ou passear ao ar livre), meditar, tomar um suplemento de vitamina D  e preferir alimentos milagrosos que me trazem vitalidade para tirar o máximo proveito de cada dia, como os adaptógenos (maca, ashwaganga, ginseng ou reishi). São alimentos que se adaptam às nossas necessidades e ajudam a equilibrar desarmonias provocadas pelo stress ao nível do sistema hormonal e imunitário.

Um dos que tenho usado ultimamente é reishi. Apesar de ser um tipo de cogumelo, funciona lindamente em receitas de batidos ou até bolos. Os cogumelos reishi são muito populares na Ásia, onde são usados há muito tempo como tónico e potenciador de imunidade. E, segundo o site da Iswari, ajudam a desintoxicar o corpo, a reforçar o sistema imunitário e cardiovascular e a aliviar as inflamações e alergias. A sua acção medicinal também é considerada benéfica na regulação da pressão arterial, do colesterol e no tratamento de infecções virais. (E não, não estou a ser paga, apenas gosto mesmo muito desta marca.)

Eu prefiro consumir este tipo de alimento logo pela manhã e andei a brincar com novas receitas de batidos com fruta da época para o meu pequeno almoço. Hoje deixo-vos aqui um bem docinho.

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
1 dióspiro grande
2 ou 3 bananas bem maduras (usei congeladas porque fica mais cremoso e menos doce)
1 colher de chá de alfarroba
1 colher de chá de cogumelos reishi em pó (usei Iswari)
1 cup/chávena de água

Instruções:
~ tirar a casca do dióspiro (e caroço, se tiver). Juntar tudo numa liquidificadora ou processador de comida e triturar até ficar bem homogéneo e cremoso. E já está!

reishiENGLISH:

I started writing this post at the end of a very rainy week. It rained every day, in the morning, in the afternoon and at night… every day and all day… rain and more rain, darkness and loneliness. By the time friday night had arrived I had tears in my eyes and I was fighting them and fighting and ancient feeling of isolation, sadness and abandonment. Finally I stopped fighting and I joined the salty river that had to burst out of my heart. I’ve learned the more I fight my feelings the more they overpower me, so I just acknowledge them, go to the bottom of it and release.

And even though I felt it all just as honestly as any other feelings I have ever had, I couldn’t help but judge myself for being in such a state, only due to a few cold days without sunshine. Ridiculous, completely ridiculous… How can a grown person feel like her life is upside down just because the temperature dropped a lot, the changes for the daylight saving time, the sun didn’t show up and the air pressure changed suddenly? How?! Ridiculous… No one can be that sensitive!

Luckily I no longer feel ashamed of sharing my ridiculous stories like this one and I’ve been awarded the wonderful gift of realising that I’m not the only one feeling this way. Actually, I know several women that felt exactly like I did, at the same time and even for the same reasons. So maybe it isn’t so ridiculous after all… Or at least we can be ridiculous together and have a good laugh about our sensibility. Blessed tribe! Not a lot of things make such a big and positive difference in a person’s life like a caring and generous tribe. I honestly wish that everyone can find their own, someday.

And now that the storm has passed, I’ve been trying to accept once and for all that my body processes this weather just like it processes sadness and that this time of year will always be the hardest for me. I was born to live closer to the equador or, the very least, closer to the tropic of cancer!

My strategy to overcome this has been to play as much as possible, to exercise and ground myself (meditation, dancing or walking in nature), take a Vitamin D supplement and use wonderful miracle foods that bring me the vitality I need to make the most of every day. I love adaptogens (maca, ashwaganda, ginseng or reishi mushrooms). These super foods adapt to our bodies and give a boost to the hormonal and immune systems, bringing balance where stress has been creating havoc.

I’ve been using reishi mushrooms quite a bit lately and even tough it’s a type of mushroom, it works really well in smoothies and even cakes or cookies. Reishi mushrooms are very popular in Asia, where they have been used for a really long time as a tonic to boost immunity. According to the Iswari‘s site, reishi helps detox the body, it boosts the cardiovascular and immune systems and it helps with inflammation and allergies. It’s medicinal action is also beneficial in regulating blood pressure, cholesterol and treating viral infections. (And no, I’m not being paid, I just really like this brand)

I prefer to have this type of food in the morning and I’ve been playing with some new smoothie recipes and fall fruit for my breakfast. Today I’m sharing a very sweet one with you.

Ingredients:
(organic if possible)
1 large persimmon
2 or 3 large and very ripe bananas (I used frozen because it’s creamier and not as sweet)
1 teaspoon with carob powder
1 teaspoon with reishi mushroom powder (I used Iswari)
1 cup of water

Directions:

~ peel the persimmon and take off the seed (if it has one) and put every ingredient in a blender or food processor. Blend until its smooth and even. And that’s it!

reishi-batido