The extra in the ordinary

By Catarina Guimarães


2 Comments

Batido doce de cogumelos reishi e dióspiro ~ Sweet smoothie with reishi mushrooms and persimmon

reishi-batido(PLEASE SCROLL DOWN FOR ENGLISH VERSION)

Comecei a escrever este post no final de uma semana em que choveu todos os dias, manhã, tarde e noite… todos os dias e os dias todos… chuva e mais chuva, escuridão e solidão.
Cheguei a essa sexta feira à noite com as lágrimas nos olhos, lutando contra elas e contra uma sensação antiga de isolamento, tristeza e abandono.
Por fim, deixei de lutar e juntei-me ao rio salgado que tinha mesmo que sair coração fora. Já aprendi que quanto mais luto contra a minhas emoções mais elas me dominam, por isso mais vale assumir, ir até ao fundo e libertar.

E por muito que sentisse tudo o que senti de um modo tão verdadeiro como qualquer outra emoção, não conseguia deixar de me julgar e de me criticar por estar assim, naquele estado, única e exclusivamente porque fiquei sem sol e com frio durante uns diazinhos. Ridículo, completamente ridículo…  Como é que um adulto que vive em consciência fica com a vida de pernas para o ar só porque a temperatura baixou imenso, a hora mudou, o sol não apareceu e a pressão atmosférica mudou repentinamente? Como é que isto é o suficiente para criar uma perfeita tempestade de emoções? Como?! Ridículo… Ninguém pode ser assim tão sensível!

Mas felizmente já perdi a vergonha de contar coisas ridículas como estas e tenho recebido a bela prenda de perceber que não sou a única a sentir-me assim. Que várias são as mulheres que sentiram o mesmo que eu, pelos mesmos motivos e na mesma altura. Talvez não seja assim tão ridículo, afinal… Ou pelo menos assim podemos ser ridículas juntas e rirmo-nos um bocado da nossa sensibilidade. Abençoada tribo! Poucas coisas fazem uma diferença tão grande e tão positiva na vida como uma tribo carinhosa e generosa. Desejo sinceramente que todos encontrem a sua, um dia.

E agora que esta tempestade já passou, tenho-me dedicado a aceitar de uma vez por todas que o meu organismo processa este tempo como processa a tristeza e que esta será sempre a altura do ano mais difícil para mim. Eu fui feita para viver mais pertinho da linha do equador. Vá, no mínimo, trópico de câncer!

A minha estratégia para ultrapassar isto tem sido brincar o mais possível, fazer exercício que me faça sentir enraizada (como dançar ou passear ao ar livre), meditar, tomar um suplemento de vitamina D  e preferir alimentos milagrosos que me trazem vitalidade para tirar o máximo proveito de cada dia, como os adaptógenos (maca, ashwaganga, ginseng ou reishi). São alimentos que se adaptam às nossas necessidades e ajudam a equilibrar desarmonias provocadas pelo stress ao nível do sistema hormonal e imunitário.

Um dos que tenho usado ultimamente é reishi. Apesar de ser um tipo de cogumelo, funciona lindamente em receitas de batidos ou até bolos. Os cogumelos reishi são muito populares na Ásia, onde são usados há muito tempo como tónico e potenciador de imunidade. E, segundo o site da Iswari, ajudam a desintoxicar o corpo, a reforçar o sistema imunitário e cardiovascular e a aliviar as inflamações e alergias. A sua acção medicinal também é considerada benéfica na regulação da pressão arterial, do colesterol e no tratamento de infecções virais. (E não, não estou a ser paga, apenas gosto mesmo muito desta marca.)

Eu prefiro consumir este tipo de alimento logo pela manhã e andei a brincar com novas receitas de batidos com fruta da época para o meu pequeno almoço. Hoje deixo-vos aqui um bem docinho.

Ingredientes:
(Se possível, biológicos)
1 dióspiro grande
2 ou 3 bananas bem maduras (usei congeladas porque fica mais cremoso e menos doce)
1 colher de chá de alfarroba
1 colher de chá de cogumelos reishi em pó (usei Iswari)
1 cup/chávena de água

Instruções:
~ tirar a casca do dióspiro (e caroço, se tiver). Juntar tudo numa liquidificadora ou processador de comida e triturar até ficar bem homogéneo e cremoso. E já está!

reishiENGLISH:

I started writing this post at the end of a very rainy week. It rained every day, in the morning, in the afternoon and at night… every day and all day… rain and more rain, darkness and loneliness. By the time friday night had arrived I had tears in my eyes and I was fighting them and fighting and ancient feeling of isolation, sadness and abandonment. Finally I stopped fighting and I joined the salty river that had to burst out of my heart. I’ve learned the more I fight my feelings the more they overpower me, so I just acknowledge them, go to the bottom of it and release.

And even though I felt it all just as honestly as any other feelings I have ever had, I couldn’t help but judge myself for being in such a state, only due to a few cold days without sunshine. Ridiculous, completely ridiculous… How can a grown person feel like her life is upside down just because the temperature dropped a lot, the changes for the daylight saving time, the sun didn’t show up and the air pressure changed suddenly? How?! Ridiculous… No one can be that sensitive!

Luckily I no longer feel ashamed of sharing my ridiculous stories like this one and I’ve been awarded the wonderful gift of realising that I’m not the only one feeling this way. Actually, I know several women that felt exactly like I did, at the same time and even for the same reasons. So maybe it isn’t so ridiculous after all… Or at least we can be ridiculous together and have a good laugh about our sensibility. Blessed tribe! Not a lot of things make such a big and positive difference in a person’s life like a caring and generous tribe. I honestly wish that everyone can find their own, someday.

And now that the storm has passed, I’ve been trying to accept once and for all that my body processes this weather just like it processes sadness and that this time of year will always be the hardest for me. I was born to live closer to the equador or, the very least, closer to the tropic of cancer!

My strategy to overcome this has been to play as much as possible, to exercise and ground myself (meditation, dancing or walking in nature), take a Vitamin D supplement and use wonderful miracle foods that bring me the vitality I need to make the most of every day. I love adaptogens (maca, ashwaganda, ginseng or reishi mushrooms). These super foods adapt to our bodies and give a boost to the hormonal and immune systems, bringing balance where stress has been creating havoc.

I’ve been using reishi mushrooms quite a bit lately and even tough it’s a type of mushroom, it works really well in smoothies and even cakes or cookies. Reishi mushrooms are very popular in Asia, where they have been used for a really long time as a tonic to boost immunity. According to the Iswari‘s site, reishi helps detox the body, it boosts the cardiovascular and immune systems and it helps with inflammation and allergies. It’s medicinal action is also beneficial in regulating blood pressure, cholesterol and treating viral infections. (And no, I’m not being paid, I just really like this brand)

I prefer to have this type of food in the morning and I’ve been playing with some new smoothie recipes and fall fruit for my breakfast. Today I’m sharing a very sweet one with you.

Ingredients:
(organic if possible)
1 large persimmon
2 or 3 large and very ripe bananas (I used frozen because it’s creamier and not as sweet)
1 teaspoon with carob powder
1 teaspoon with reishi mushroom powder (I used Iswari)
1 cup of water

Directions:

~ peel the persimmon and take off the seed (if it has one) and put every ingredient in a blender or food processor. Blend until its smooth and even. And that’s it!

reishi-batido